1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Rênania do Norte: pré-escolares têm aulas de reforço de alemão

Pesquisa revela que 19% das crianças com 4 anos de idade no estado da Rênania do Norte-Vestfália não falam bem o idioma e precisam participar de um programa de aprendizagem antes de freqüentar a escola.

default

Acompanhamento será feito em creches, que receberão uma verba suplementar

De acordo com um teste realizado na Renânia do Norte-Vestfália, quase um quinto das crianças de 4 anos do estado têm problemas para falar a língua alemã e precisam de reforço antes de ingressar na escola.

No total, 34 mil crianças no estado mais populoso da Alemanha receberão esse apoio a partir da semana que vem, segundo a secretária da Educação, Barbara Sommer, e o secretário da Família, Armin Latschet. São quase 19% das 180 mil crianças que em dois anos estarão indo à escola.

11.08.2006 JOU Armin Laschet.jpg

O secretário de Família Armin Laschet

A primeira etapa do teste consistia numa brincadeira com palavras, na qual as crianças foram observadas por educadores. Em 64 mil casos houve dúvidas de que os conhecimentos de alemão correspondessem à idade. Foi realizada então uma segunda etapa com essas crianças e outras 25 mil que não freqüentam uma creche ou faltaram ao teste inicial. Dessas 89 mil crianças, 34 mil apresentaram problemas com o idioma.

Diferenças na cidade e no campo

Sommer disse que o resultado corresponde às expectativas. Nos bairros problemáticos das grandes cidades, o número de crianças com dificuldades linguísticas ultrapassa a média: até um terço delas precisam de aulas extras de alemão. Nas cidades menores, apenas 10% apresentaram dificuldades. Das crianças que não freqüentam uma creche, 40% não possuem bons conhecimentos de alemão falado.

"Todas as crianças desde o primeiro dia de aula devem dominar o idioma em um nível correspondente à sua idade", afirmou Laschet. Para cada criança necessitada, as creches do estado receberão 340 euros por ano, para financiar 200 horas de reforço linguístico.

Imigrantes e alemães têm dificuldades

A Renânia do Norte-Vestfália foi o primeiro estado a introduzir o teste obrigatório de conhecimentos do idioma, que deverá ser aplicado também em outros estados. Segundo Laschet, crianças de famílias imigrantes precisam de mais "tempo e atenção para aprender a língua alemã", mas também crianças de famílias alemãs apresentam problemas.

Gewaltspiel Playstation Jugendliche

Crianças passam muito tempo em frente ao videogame

"Crianças de famílias imigrantes têm um déficit linguístico mais alto do que as alemãs, o que não significa que para estas esteja tudo em ordem. A falta de comunicação em casa e os pais que permitem aos filhos ficar horas em frente à televisão ou ao videogame são preocupantes e mostram que os alemães também precisam deste apoio", observou o jornal Rheinische Post , de Düsseldorf. (jv)

Leia mais