1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Quem deve controlar a rede?

A Cúpula Mundial da Sociedade da Informação, que acontece em Túnis, buscará abrir caminhos para a comunicação global. Tema que é encoberto por uma grande polêmica: o controle sobre a internet.

default

Futuro da internet é tema da cúpula mundial em Túnis

Desde a primeira etapa da Cúpula Mundial da Sociedade da Informação, ocorrida em dezembro de 2003, em Genebra, os europeus sugerem a criação de um fórum onde as nações possam se dedicar aos problemas da internet, como a pedofilia. Outro ponto de discussão que também é consenso é o do domínio digital.

A metade da humanidade, cerca de três bilhões de pessoas, deverá ter acesso à internet até 2015. Número que poderá ser alcançado, já que, a cada ano, há 20% mais internautas no planeta.

Apesar dos dados promissores, o abismo digital parece que não será vencido. As maravilhas da sociedade da informação são, para algumas pessoas em países em desenvolvimento, puro luxo.

Domínio norte-americano

Viviane Reding

Comissária européia Viviane Reding defende o fim do controle unilateral da rede

Os Estados Unidos afirmam que o papel histórico que tiveram na expansão da internet lhes garante o direito de manter o controle sobre a rede. Em entrevista à revista Der Spiegel, a comissária européia para a Sociedade de Informação e Mídia, Viviane Reding, explica que o governo estadunidense apresenta ainda outros argumentos.

"As crescentes ameaças contra a segurança no país estão entre os fatores que levaram à decisão norte-americana de manter o monopólio. E isso, a UE não aceita", acrescenta.

Este pode ser um ponto de conflito durante a conferência. Conforme o professor de Ciência da Comunicação da Universidade de Constância Rainer Kuhlen, a cúpula pode reservar surpresas. "A União Européia deixou claro que não quer mais ser controlada por um governo e, por outro lado, os EUA já disseram que não pretendem desistir do controle unilateral", comenta.

Participação brasileira

"Dessa forma, há o temor de que países como o Brasil e a Índia, nações que já têm uma forte penetração na internet, desenvolvam uma forma própria de rede", alerta Kuhlen.

São exatamente os governos destes países – entre eles, o brasileiro – que pedem a dissolução da Icann (órgão mundial responsável por estabelecer regras do uso da internet, com sede na Califórnia) e a criação de um grêmio sob a fiscalização da ONU.

ICANN Internetverwaltung Logo Grafik WSIS Weltinformationsgipfel

Icann tem sede no Estado norte-americano da Califórnia

"Apesar de ser uma entidade internacional e sem fins lucrativos, o órgão tem laços estreitos com o Departamento de Comércio norte-americano, o que daria margem aos Estados Unidos para desconectar domínios de países como a Coréia do Norte", explica Wolfgang Kleinwächter, da Universidade de Asrhus, na Dinamarca.

Leia a seguir: Violação dos direitos humanos na Tunísia

Leia mais