1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Quase 400 extremistas de direita à solta na Alemanha

Governo reconhece que 372 criminosos de direita condenados à prisão ainda não foram presos. Jornal classifica dado como preocupante, e deputada alerta sobre risco que foragidos podem representar para a sociedade.

Segundo reportagem publicada nesta segunda-feira (11/01) pelo jornal Süddeutsche Zeitung, mais de 450 mandados de prisão contra 372 criminosos de extrema direita não foram cumpridos desde setembro de 2015.

Os números citados pelo periódico foram divulgados pelo governo alemão, respondendo a questionamento da deputada do Partido Verde Irene Mihalic.

O diário classifica a informação como preocupante. "Isto significa que ou essas pessoas não são presas, embora a polícia saiba onde elas estão, ou esses criminosos conseguiram escapar da prisão por estarem escondidos", alerta a publicação.

O Süddeutsche Zeitung afirma que a notícia lembra o que ocorreu no caso do grupo Clandestinidade Nacional-Socialista (NSU, na sigla em alemão), acusado de matar nove pessoas de origem turca e grega e uma policial alemã entre 2000 e 2007. A série de assassinatos de fundo xenófobo, praticados durante anos, é tida como um exemplo de fracasso das forças policiais e dos serviços de informação alemães.

"Tenho grande preocupação de que os neonazistas foragidos cometam crimes graves, e de que, novamente, nós não venhamos a saber quem foi", afirmou Mihalic. "Onde estão estes neonazistas desaparecidos? Eles estão escondidos? Estão participando da criação de redes terroristas?", questiona a política.

Após ser confrontado com o questionamento de Mihalic, o Ministério do Interior alemão disse que pretende pressionar os estados para que os 372 mandados de prisão sejam cumpridos. "Os números são motivo de preocupação", disse o porta-voz do ministério, Johannes Dimroth.

Ele ressaltou, no entanto, que apenas 70 dos 372 mandados em questão foram emitidos por crimes de motivação política. A maioria dos casos é "uma mistura de simples furtos a lesões corporais sem fundo político", disse. Entretanto, fato é que todos os 372 criminosos já chamaram atenção das autoridades por atos de motivação política de direita.

MD/dpa/ots

Leia mais