Quando elogios soam como insultos | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 01.03.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Quando elogios soam como insultos

Você sabia que dizer que alguém tem um rosto pequeno ou está em forma como um pepino pode ser um sinal de admiração e respeito? No Dia Mundial do Elogio, reunimos expressões curiosas de diferentes culturas.

Coração pintado no chão

Dia Mundial do Elogio é comemorado desde 2011

"Um elogio é como um beijo dado através de um véu", escreveu o autor francês Victor Hugo em seu romance Os Miseráveis. Mas, às vezes, boas intenções podem ser mal interpretadas. As coisas podem ser particularmente problemáticas em um ambiente intercultural: mal-entendidos podem brotar rapidamente, e uma declaração bem-intencionada pode ser interpretadas do jeito errado. Por ocasião do Dia Mundial do Elogio, comemorado em 1º de março, compilamos uma série de elogios curiosos:

Nariz grande e rosto pequeno

As diferenças na cultura do elogio são extensamente diferentes, por exemplo, entre o Ocidente e o Oriente. Os japoneses são um grupo notadamente reservado de pessoas, então elogios raramente são feitos. Ao mesmo tempo, eles são conhecidos por serem bem-educados com estrangeiros, mostrando respeito ao elogiar os forasteiros por suas habilidades com línguas estrangeiras, por exemplo. A pessoa que recebe o elogio, no entanto, deve se comportar de maneira modesta; do contrário, ela parecerá arrogante.

Por outro lado, é um grande acontecimento quando um homem japonês faz um elogio a uma mulher. Pode soar engraçado, mas uma possível frase galanteadora é: "Você tem um rosto pequeno." Na verdade, o tamanho da cabeça não é a questão aqui, mas sim traços delicados e proporcionais. Um ideal de beleza.

As mulheres no Japão também podem ser elogiadas quando ouvem que seus rostos são pálidos e seus narizes são grandes. A palidez pode até ser compreensível, mas um nariz grande? Bom, talvez ele ajude a tornar o resto do rosto pequeno.

Panelas, macacos e elefantes

As pessoas no Camarões gostam de usar metáforas para expressar um elogio. Alguém pode ser enaltecido quando ouve que é uma "panela velha" ("vieille marmite"), por exemplo. Não se trata de um insulto, mas de um elogio às habilidades culinárias, já que as pessoas no país consideram que panelas velhas fazem a melhor comida. E quando alguém é chamado de baobá, como a árvore de grande porte, isso significa que fez um bom trabalho e é respeitado.

Um gesto similar de respeito no Brasil é chamar alguém de "macaco velho". A expressão vem do antigo provérbio "macaco velho não põe a mão em cumbuca". A história se refere a um velho método de caçar macacos, colocando frutas no interior de uma cumbuca. Os jovens macacos colocavam as mãos dentro dos recipientes para tentar pegar o alimento e ficavam presos, tornando-se alvo fácil de caçadores. Os velhos, no entanto, eram mais experientes e não cometiam esse erro.

Elefante

Em hindi, é um elogio dizer que uma mulher caminha como um elefante

As pessoas na Índia reúnem imaginação considerável ao fazer elogios. Em hindi, alguém pode dizer "Gaja Gamini" ("ela anda como um elefante") para uma mulher que esteja passando. Isso porque as pessoas não consideram os animais desajeitados, mas sim lentos e graciosos. A metáfora até mesmo despertou a imaginação de Bollywood, que produziu um filme que tem a expressão como título e onde a famosa atriz Madhuri Dixit interpreta uma sedutora "Gaja Gamini".

Fadas, pepinos e honestidade

Na região onde se fala bengali, que inclui partes da Índia e Bangladesh, costuma-se dizer a uma mulher que ela é uma "Dana Kata Pori" ("uma fada sem asas"). É dito de uma maneira simpática, é claro, como um anjo que caiu do céu. Em outras palavras: a mulher é bonita.

As pessoas na Rússia também são bastante criativas quando se trata de elogiar. Se você ouvir que está em forma como um "pepino" ("Огурчик"), isso significa que você está vivaz. "Sangue com leite" ("Кровь с молоком") também tem o mesmo efeito elogioso: significa que a pessoa tem as bochechas rosadas e está cheia de força.

Na Alemanha, elogios não são muito comuns, afirma a jornalista americana Courtney Tenz, radicada no país europeu há mais de uma década. Segundo ela, os alemães apostam na honestidade e consideram a maneira como os americanos elogiam exagerada e superficial. Um conterrâneo lhe disse sobre a Alemanha: "Considere um elogio se você não recebeu nenhuma crítica."

Mesmo que se cometa um erro ao elogiar, isso não significa que você não deve fazê-lo – afinal, nada deixa alguém mais feliz que um elogio honesto, dizem os criadores do Dia Mundial do Elogio, comemorado desde 2011. A ideia surgiu na Holanda, onde o dia é celebrado na sua versão nacional desde 2003.

Leia mais