1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Pyongyang propõe aos EUA investigação conjunta sobre ataque cibernético

Oferta é resposta à advertência de Obama de que Coreia do Norte enfrentaria retaliação. Casa Branca diz que se Pyongyang quer ajudar, deve compensar Sony Pictures pelo prejuízo, que pode chegar a meio bilhão de dólares.

Em resposta às acusações dos Estados Unidos, a Coreia do Norte instou Washington neste sábado (20/12) a participar de uma investigação conjunta sobre o ataque cibernético à rede interna do estúdio hollywoodiano Sony Pictures, para provar que Pyongyang não tem nada a ver com o caso.

"Como deixou claro o FBI, acreditamos que o governo da Coreia do Norte é responsável por este ataque. O governo norte-coreano tem uma longa história de negar responsabilidade por ações destrutivas e de provocação", declarou Mark Stroh, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança da Casa Branca, após a proposta de Pyongyang.

"Se o governo da Coreia do Norte quer ajudar, eles podem admitir a culpa e compensar a Sony pelos prejuízos causados pelo ataque", afirmou Stroh.

A proposta de Pyongyang foi uma resposta à advertência feita pelo presidente americano, Barack Obama, de que a Coreia do Norte iria enfrentar retaliação pelo ataque cibernético à Sony Pictures. A invasão resultou na revelação de milhares de e-mails e arquivos corporativos e escalou para ameaças de ataques terroristas contra cinemas americanos, o que levou o estúdio a cancelar o lançamento da comédia A entrevista.

Obama Jahresend-Pressekonferenz 19.12.2014

Obama diz ter provas do envolvimento da Coreia do Norte no caso

Na trama ficcional, dois repórteres são incumbidos de assassinar o líder norte-coreano, que no filme não se chama King Jong-un, mas se parece exatamente com o atual ditador.

Em coletiva de imprensa na sexta-feira, Obama disse que o FBI teria provas do envolvimento de Pyongyang no caso. No mesmo dia, a missão da Coreia do Norte nas Nações Unidas negou que o país tivesse qualquer relação com o ocorrido.

"Como os EUA estão espalhando alegações sem fundamento e nos caluniando, propomos uma investigação conjunta sobre este incidente", afirmou um porta-voz do Ministério norte-coreano do Exterior. "Sem recorrer a torturas como aquelas usadas pela CIA americana, temos meios de provar que este incidente não tem nada a ver conosco", alfinetou.

A proposta foi vista por analistas como um truque típico da Coreia do Norte para mostrar que o país estaria sendo sincero, ainda que saiba que os Estados Unidos nunca aceitariam a oferta de investigação conjunta.

Film Still - The Interview

Cena de "A entrevista": repórteres são encenados por James Franco e Seth Rogen

Prejuízo milionário

De acordo com a avaliação de especialistas, o ataque cibernético à Sony pode causar prejuízos de centenas de milhões de dólares à empresa. Segundo Hemanshu Nigam, da empresa de assessoria SSP Blue, os danos financeiros podem chegar a 500 milhões de dólares.

O especialista informou que a decisão de cancelar a estreia da sátira A entrevistanos cinemas elevou os prejuízos às alturas. Os custos de produção do filme são avaliados em 75 milhões de dólares. A Sony vai ainda abdicar da receita das bilheterias, explicou Nigam.

Além disso, há os custos para a restauração da rede computadores, como também as despesas judiciais. Devido à divulgação de dados pessoais, funcionários e antigos empregados já entraram com duas queixas na Justiça. Os prejuízos para a reputação da Sony também são avaliados como consideráveis por especialistas do setor.

CA/afp/ap/rtr

Leia mais