1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Putin compara polêmica sobre sistema antimísseis com crise cubana

Presidente da Rússia diz que impasse lembra conflito sobre estacionamento de mísseis em Cuba durante Guerra Fria. Cúpula UE-Rússia em Portugal terminou sem resultados concretos.

default

Putin encontrou-se com Sócrates no palácio São Bento, em Mafra

O presidente russo, Vladimir Putin, comparou o impasse sobre o estacionamento de um sistema antimísseis, pelos Estados Unidos, no centro da Europa, com a crise cubana na Guerra Fria. Com a comparação, feita após o encontro de cúpula desta sexta-feira (26/10) entre a União Européia (UE) e Rússia, em Portugal, ele quis lembrar que as relações em meados da década de 1960 também se desenvolveram a partir de uma situação semelhante.

A crise cubana havia levado os Estados Unidos e a então União Soviética à beira de uma guerra nuclear em 1962. Pouco antes do início do encontro de cúpula, realizado na cidade portuguesa de Mafra, a Rússia havia mais uma vez ameaçado com o reinício da produção de mísseis de curto e médio alcance. "Podemos começar em curto prazo a construção deste tipo de armamentos", disse o comandante das Forças Armadas Estratégicas, Nikolai Solovtsov.

Diferentemente da cúpula anterior, em maio, quando a chanceler federal Angela Merkel e Putin trocaram farpas sobre a questão dos direitos humanos, nesta que foi a última participação de Putin no cargo de presidente, o encontro aconteceu sob clima ameno.

Problemas cruciais ficaram sem solução

Problemas como a abertura mútua dos mercados energéticos e o boicote russo à carne polonesa não foram resolvidos. A Rússia reivindica de Bruxelas o livre acesso de suas empresas ao mercado europeu ocidental. Isto é aceito pela União Européia, que em contrapartida exige livre acesso e segurança jurídica para empresas européias ao mercado russo.

Também ficou em aberto a aprovação da UE ao ingresso da Rússia na Organização Mundial do Comércio (OMC). Putin lamentou que o bloco ainda não tenha decidido negociar um novo acordo de parceria com seu país. A Polônia bloqueia as negociações sobre o aprofundamento das relações políticas e econômicas em protesto à suspensão da importação de carne polonesa imposta por Moscou em 2005.

Na condição de presidente da União Européia, o primeiro-ministro português José Sócrates elogiou a permissão russa, de que a Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) envie observadores às eleições parlamentares russas, em dezembro próximo, e à eleição presidencial, em março de 2008. (rw)

Leia mais