Puma identifica problema após festival de rasgos na Eurocopa | Leia as principais notícias sobre o futebol internacional | DW | 20.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Puma identifica problema após festival de rasgos na Eurocopa

Após seleção suíça ter mais camisas rasgadas que chutes a gol contra a França, fabricante garante que problema se restringe a lote específico do material. Shaqiri faz piada: "Espero que não fabrique camisinhas."

Granit Xhaka precisou trocar de camiseta duas vezes

Granit Xhaka precisou trocar de camiseta duas vezes

A fabricante alemã de artigos esportivos Puma anunciou nesta segunda-feira (20/06) ter descoberto o que aconteceu na partida do último domingo em Lille, quando sete camisas da seleção suíça rasgaram durante o empate em 0 a 0 contra a França.

Segundo a empresa, um problema foi detectado no tecido de um lote específico da camisa titular da Suíça, que acabou tornando-a mais frágil. Na Eurocopa, a Puma fornece material esportivo também para Áustria, Itália, República Tcheca e Eslováquia.

"A Puma checou os estoques de todas as camisas de todos os times da Puma e pode garantir que esse infeliz incidente não aconteça novamente", disse a empresa em comunicado, ressaltando que o caso foi uma exceção e o primeiro registrado em dez jogos das cinco seleções que vestem artigos da empresa na Eurocopa.

A partida entre França e Suíça não foi especialmente intensa ou com lances duros. Mas já no primeiro tempo, três jogadores suíços tiveram que trocar as camisas. No segundo, outros dois atletas: no total, sete camisas rasgadas.

O meia suíço Xherdan Shaqiri levou com bom humor a situação inusitada. "É difícil saber o motivo. Espero que a Puma não fabrique camisinhas", brincou.

Os jogadores Granit Xhaka, Admir Mehmedi, Breel Embolo e Blerim Dzemaili foram obrigados a trocar de camisa durante a partida. O goleiro suíço Yann Sommer, que terminou a partida com sua camisa intacta, saiu em defesa da Puma. "Isso pode acontecer e mostra que houve uma batalha em campo", disse.

A Puma, porém, não foi a única fabricante alemã que sofreu na partida. A bola da Adidas, chamada "Beau Jeu", acabou furada após um divida entre o suíço Valon Behrami e o francês Antoine Griezmann, no início do segundo tempo.

Em comunicado, a Adidas afirmou que ficou surpresa com o ocorrido e disse que o incidente é raro. "Estamos analisando o que aconteceu. O motivo do rasgo ainda não foi identificado, mas a Beau Jeu tem sido muito elogiada por especialistas por sua contribuição para esse início de campeonato emocionante", afirmou.

CN/rtr/dpa/efe

Leia mais