1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Protestos por filme anti-islâmico chegam até Tunísia e outros países árabes

Após as preces de sexta-feira, protestos populares contra o Ocidente se acirram no mundo árabe, já chegando à Tunísia. Estopim é filme norte-americano que mostra visão ofensiva da fé islâmica e seu Profeta.

Na capital tunisiana, Túnis, manifestantes invadiram a embaixada estadunidense nesta sexta-feira (14/09), quebrando janelas e ateando fogo. Uma densa nuvem negra subiu do edifício. Forças de segurança tentaram conter a multidão com gás lacrimogêneo e tiros de advertência.

Agitadores também incendiaram a escola norte-americana em Túnis. A causa da violência continua sendo, pelo menos em parte, a indignação contra um filme amador produzido nos EUA, trazendo ofensas ao profeta Maomé e uma visão dos islamistas como assassinos e estupradores, gananciosos e sanguinários.

Alastramento da violência

No Egito, milhares voltaram a protestar contra o filme Innocence of Muslims, partes do qual seguem sendo divulgadas no portal YouTube. Na Praça Tahrir, no Cairo, houve choques com a polícia, quando algumas centenas de manifestantes procuravam chegar até a embaixada norte-americana, sendo detidos com o emprego de gás lacrimogêneo. A Irmandade Muçulmana retirou sua conclamação a protestos em escala nacional, a fim de evitar o alastramento da violência.

O presidente egípcio, Mohammed Mursi, ex-membro da Irmandade, declarara anteriormente ser, de fato, legítimo protestar contra o filme ofensivo ao Profeta, porém sem o emprego de violência. Segundo a polícia, 40 manifestantes foram presos durante as arruaças, desde a última terça-feira.

Ataque à cadeia de lanchonetes KFC, em Trípoli, Líbano

Ataque à cadeia de lanchonetes KFC, em Trípoli, Líbano

No Iêmen, policiais empregaram gás lacrimogêneo e atiraram para o ar, quando cerca de 2 mil manifestantes tentaram marchar até a embaixada norte-americana na capital, Sana. Na quinta-feira, muçulmanos exaltados invadiram a representação diplomática e queimaram a bandeira dos Estados Unidos. Pelo menos quatro pessoas foram mortas durante os choques.

Em Trípoli, no norte do Líbano, um homem morreu durante os protestos antiamericanos. Vinte e cinco pessoas também ficaram feridas, quando arruaceiros invadiram e incendiaram uma filial da cadeia de fast-food KFC. Pouco antes das explosões de violência no Líbano, o papa Bento 16 chegara à capital libanesa, Beirute, em visita.

Nesta sexta-feira também ocorreram manifestações contra o filme anti-islâmico no Iraque, Jordânia, Territórios Palestinos, Indonésia, Bangladesh, Malásia e Afeganistão. As representações diplomáticas da Alemanha e do Reino Unido também foram atacadas em Cartum, capital do Sudão.

AV/dpa/afp/dapd/rtr
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais