1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Protestos mundiais

Manifestações organizadas e espontâneas tomaram as ruas em várias cidades do mundo em protesto contra a guerra do Iraque. Na Alemanha, estudantes foram às passeatas e não às aulas.

default

Milhares de espanhóis reunidos contra a guerra na Puerta del Sol em Madri

Com manifestações públicas, vigílias e orações pela paz, centenas de milhares de pessoas protestaram, nesta quinta-feira (20), em todo o mundo contra os ataques dos Estados Unidos ao Iraque. As maiores manifestações ocorreram em Berlim, Londres, São Francisco, Melbourne, Paris, Milão e Barcelona.

Mais de 600 manifestações na Alemanha

Demonstration in Berlin gegen Irak Krieg

Protesto de estudantes diante do Portão de Brandemburgo, em Berlim

Somente na capital alemã, cerca de 40 mil pessoas reuniram-se, à noite, na praça Alexanderplatz para exigir o fim da guerra. Pela manhã, cerca de 50 mil manifestantes, principalmente jovens, saíram do mesmo local em passeata rumo ao Portão de Brandemburgo.

Portando faixas e cartazes e gritando palavras de ordem contra a guerra, os pacifistas também dirigiram-se às instalações norte-americanas em solo alemão, como o quartel-general do exército em Heidelberg e a Embaixada dos EUA em Berlim.

Demonstration in Italien gegen Irak Krieg

Estudantes marcham para o consulado norte-americano em Milão, nesta quinta-feira (20/03)

Segundo o movimento pacifista, no primeiro dia do conflito, estavam previstos mais de 680 protestos em toda a Alemanha, em 350 cidades e em localidades menores. Segundo a Netzwerks Friedenskooperative, que congrega vários grupos, estudantes e escolares boicotaram as aulas para marchar contra a guerra em inúmeras cidades, entre elas Aachen, Bremen, Frankfurt, Fulda, Kassel, Colônia, Munique, Offenbach, Potsdam e Oldenburg.

Para o fim de semana já estão anunciadas novas manifestações. "Esta guerra é tão obscena quanto seus mentores", disse uma oradora, à noite em Berlim. "É uma guerra bárbara, desencadeada principalmente por motivos econômicos", disse um iraquiano. Uma faixa pedia que se prenda os presidentes dos EUA, George W. Bush, e do Iraque, Saddam Hussein, numa mesma cela do Tribunal das Nações Unidas para Crimes de Guerra em Haia.

São Francisco, Londres e Bruxelas

Milhares de norte-americanos também saíram às ruas de São Francisco e outras cidades dos EUA para protestar contra a invasão do Iraque. Centenas deles foram presos pela polícia. "O mundo precisa saber que existe uma oposição organizada", disse um estudante em Berkley. "Se isso acontecesse em todas as cidades norte-americanas, seria declarado o estado de emergência ou a guerra acabaria", acrescentou.

Demonstration in Bremen gegen Irak Krieg

Escolares abandonaram as aulas para protestar contra a guerra, como esta garota em Bremen

Em Londres, milhares de pacifistas bloquearam ruas e reuniram-se em praças públicas. Ocorreram também alguns confrontos com a polícia. Na maior manifestação, diante do parlamento britânico, policiais removeram ativistas que bloqueavam as ruas de acesso.

Segundo testemunhas, a polícia belga dispersou com jatos d'água mil manifestantes que queriam protestar diante da embaixada dos EUA em Bruxelas. A polícia disse que apenas usou a água para apagar um coquetel molotov lançado contra o prédio.

Leia mais