1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Protestos de massa na Europa contra Israel

Milhares de pessoas protestaram em Berlim, Paris, Roma e Berna contra os ataques de Israel nos territórios palestinos. Enquanto isso prosseguiam os combates violentos na Cisjordânia, com pelo menos 30 mortos em Jenin..

default

Soldados israelenses em Ramallah.

Em várias cidades da Alemanha, França, Itália e Suiça, milhares de pessoas protestaram, neste sábado (6), contra a ação militar de Israel nos territórios palestinos. O maior protesto foi em Roma, com a presença de 50 mil pessoas na Piazza del Popolo. O número de manifestantes em Paris foi estimado em 20 mil. Protestos menores aconteceram em Berlim, nesta noite de sábado, e em outras cidades alemãs, como Bonn, Dortmund, ao longo do dia. Cerca de 9 mil pessoas atenderam a convocação de 30 organizações da Suíça para exigir paz numa manifestação em Berna.

Os manifestantes pediram o fim da ocupação israelense. Em Roma, foram exibidas faixas com a frase "Intifada até o fim", a favor do prosseguimento do levante dos jovens palestinos contra a ocupação. Na Suíça portavam-se faixas com os dizeres "Israel é um Estado terrorista" ou "Stop a guerra contra a população civil palestina". Muitas pessoas mostravam fotos de vítimas dos ataques israelenses.

Marcha silenciosa - O protesto em Berlim foi uma marcha silenciosa, com a participação de mil pessoas, em sua maioria árabes, para lembrar as vítimas palestinas. O momento inoportuno, porque milhares de pessoas estavam protestando ao mesmo tempo, no centro da capital alemã, contra uma marcha anunciada de neonazistas. O número de palestinos e simpatizantes que protestaram nas diversas cidades alemãs foi estimado em 5 mil.

Mais combates – Israel ignorou a exigência dos Estados Unidos para uma retirada imediata de suas tropas das cidades que ocupou nos últimos dias e prosseguiu com a sua operação militar "Muro Protetor", na Cisjordânia. Há notícia de combates violentos em várias cidades palestinas, sendo os piores em Jenin e perto do campo de refugiados palestinos. Um combatente palestino informou do campo, pelo telefone, que foram mortas no mínimo 30 pessoas neste sábado. Soldados e palestinos armados lutam no campo de casa em casa. Um porta-voz do Exército de Israel informou que, de sexta-feira para sábado, morreram 14 palestinos e 7 soldados.

Apelo palestino - A Autoridade Nacional Palestina, cujo líder Yassir Arafat encontra-se em isolamento imposto por Israel, fez um apelo dramático para a comunidade internacional intervir no conflito. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, confirmou a sua exigência de quinta-feira para Israel se retirar das últimas cidades palestinas que ocupou.