Propostas curiosas do novo governo alemão | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 12.03.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Propostas curiosas do novo governo alemão

Após mais de cinco meses de impasse político, Merkel chegou a um acordo com social-democratas que lhe possibilitará continuar no poder. No pacto, há algumas pautas inusitadas.

Profissional de limpeza passa pano de pó em armário

Algumas pessoas na Alemanha terão ajuda para contratar profissionais de limpeza

Líderes da legenda conservadora CDU, da chanceler federal Angela Merkel, e do Partido Social-Democrata assinaram nesta segunda-feira (12/03), em Berlim, um acordo para formar um governo de coalizão, encerrando oficialmente quase seis meses de incerteza política na Alemanha. Os legisladores alemães deverão voltar a eleger Merkel como premiê na quarta-feira (14/03), data em que seus ministros também assumirão oficialmente seus cargos.

Leia também: A América Latina no novo governo Merkel

Os trabalhos do novo governo deverão se basear no contrato de 177 páginas apresentado no início de fevereiro após a conclusão das negociações formais entre a CDU, seus aliados bávaros da CSU (União Social-Cristã) e os social-democratas. O texto do contrato provisório precisava ser aprovado pelos três partidos para entrar em vigor e para que a Alemanha volte a ter um governo com plenos poderes.

Há duas semanas, a votação da maioria dos filiados do SPD a favor de o partido integrar um governo sob a batuta de Merkel abriu caminho para que a chanceler reedite a chamada "grande coalizão de governo".

A tentativa fracassada de Merkel – cujo partido não conseguiu conquistar a maioria necessária para governar soz, em setembro – de formar um governo com o Partido Liberal-Democrata (FDP) e os ambientalistas do Partido Verde acabou persuadindo os social-democratas a voltarem atrás em sua decisão de ir para a oposição, após perda histórica de apoio político na eleição parlamentar de setembro do ano passado.

Durante as negociações, houve atritos relativos a temas como serviços de saúde e o reagrupamento de famílias de refugiados. O contrato de coalizão assinado nesta segunda limita a mil pessoas por mês o número de refugiados com "estatuto de proteção limitada" a trazerem suas famílias para a Alemanha.

O novo governo, segundo o presidente interino dos social-democratas, Olaf Scholz, "não começou como um casamento por amor", já que conservadores e social-democratas formam legendas "fundamentalmente diferentes". "Mas, apesar disso, são capazes de trabalhar juntos de forma construtiva e governar de forma ordenada", afirmou.

Lobos selvagens na Alemanha

Lobos selvagens voltaram à natureza na Alemanha, mas criadores de gado temem por rebanhos e defendem caça

Um dos pontos que ainda causa controvérsia entre os dois partidos, por exemplo, é o da defesa e do desenvolvimento. O acordo de coalizão é vago nesse quesito, comprometendo-se a gastar 2 bilhões de euros adicionais em "responsabilidade internacional" e planos de médio prazo para investir cerca de 9 bilhões de euros a mais no setor. Investimentos em desenvolvimento serão vinculados a gastos com defesa, por exemplo.

Mas, apesar das fricções e críticas de outras legendas, o contrato mostra que os partidos envolvidos também entraram em acordo sobre algumas propostas curiosas, como serviços domésticos financiados pelo Estado e definições sobre a "remoção letal" de lobos no país. Veja abaixo cinco dessas curiosidades:

1.   Financiamento de serviços domésticos pelo Estado

CDU, CSU e SPD querem introduzir "ajudas de custo para a reivindicação de serviços domésticos" para mães e pais solteiros ou parentes que cuidam de familiares doentes e/ou idosos. Em outras palavras: o governo poderá ajudar a pagar a limpeza da casa para pessoas que não conseguem fazer esse serviço sozinhos ou que têm restrições de tempo.

2.   Proteção das vinícolas alemãs

Boa notícia para os amantes do Riesling alemão: o contrato de coalizão especifica o incentivo ao desenvolvimento sustentável da produção de vinhos, "especialmente em [regiões com] declives e declives acentuados". Além disso, a declaração de proveniência de vinhos alemães deverá ser protegida internacionalmente, a exemplo do que acontece com o espumante da região de Champagne, na França.

3.   Videogame, um esporte olímpico

O governo quer fazer mais pelo eSport, ou Esporte eletrônico, uma modalidade esportiva na qual os participantes competem uns contra os outros com jogos de computador. Para a prática, é fundamental ter boa coordenação visual e motora e criatividade espacial. Os partidos da coalizão querem até a ajudar a "apoiar o Esporte eletrônico na criação de uma perspectiva olímpica".

Esporte eletrônico poderá se tornar olímpico na Alemanha

Esporte eletrônico poderá se tornar olímpico na Alemanha

4.   "Remoção de lobos"

O governo exige que a Comissão Europeia examine o estatuto de proteção do lobo na Alemanha. Além disso, CDU, CDU e SPD querem definir em que tipo de situação será necessário proceder à "remoção letal" de lobos – por exemplo para proteger seres humanos ou animais de pasto.

5.   Pizza congelada mais saudável

Os partidos da "nova" grande coalizão se preocupam com a alimentação da população alemã. Uma vez que não se pode obrigar ninguém a comer mais legumes e menos junk food, os produtos industrializados deveriam ser fabricados de forma um pouco mais saudável, acham os políticos. O objetivo deles: reduzir a quantidade de açúcar, sal e gorduras em pizzas, sopas de pacote e outras comidas prontas.

RK/dw/dpa

Leia mais