1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Promotoria de Berlim descarta estupro em caso de menina desaparecida

Garota de 13 anos passou a noite na casa de um amigo, afirma promotor. Exame médico descarta hipótese de estupro. Caso gerou atrito diplomático entre Alemanha e Rússia, com governo alemão acusando Moscou de ingerência.

default

Alemães com raízes russas pedem mais segurança em protesto relacionado ao suposto estupro

A Promotoria Pública de Berlim anunciou nesta sexta-feira (29/01) que esclareceu o caso de uma menina teuto-russa de 13 anos que supostamente teria sido raptada e estuprada. O caso gerou um atrito diplomático entre Alemanha e Rússia, com o governo alemão reclamando de ingerência em assunto interno e acusando Moscou de tentar acirrar o já difícil debate sobre migração na Alemanha.

Segundo o promotor berlinense Martin Steltner, a menina teria se escondido dos pais na casa de um amigo de 19 anos. O motivo seriam problemas na escola. "Não há indícios de crime sexual", afirmou.

Os investigadores chegaram ao amigo por meio do celular da menina. Na residência dele, que mora com a mãe, foram encontrados objetos da menina. Segundo o depoimento do adolescente e da mãe, a menina procurou abrigo na casa deles, afirmou o promotor.

A menina foi dada como desaparecida em 11 de janeiro e reapareceu depois de 30 horas. Ela então contou que foi raptada por três homens de aparência sul-europeia e estuprada por eles. Um exame médico não confirmou as declarações dela, e a polícia disse também não ter encontrado indícios de que ela tenha sido estuprada.

Mesmo que a versão da menina não seja verdadeira, dois homens de cerca de 20 anos estão sendo investigados por supostamente terem mantido relações sexuais com a menina com o consentimento dela, disse Steltner.

As relações teriam acontecido nas semanas anteriores ao desaparecimento. Eles estão sendo acusados de abuso sexual por a menina ter menos de 14 anos. Segundo o promotor, não há indícios de que tenha havido contato sexual entre a menina e o amigo dela, que é testemunha no caso.

O caso gerou polêmica nas redes sociais principalmente por causa de uma reportagem de uma emissora de TV russa. Nela, a polícia de Berlim é acusada de tentar encobrir o caso. A reportagem foi exibida em 16 de janeiro na televisão russa e publicada por vários usuários do Facebook numa versão com legendas em alemão. A reportagem coloca o caso no contexto da chegada de centenas de milhares de refugiados à Alemanha. O repórter russo afirma que a polícia alemã obrigou a menina a mudar suas declarações sobre o suposto estupro.

O caso gerou atrito também no campo diplomático, depois de o ministro russo do Exterior, Serguei Lavrov, acusar as autoridades alemãs de encobrir o caso e não informar o governo russo sobre acontecimentos envolvendo uma cidadã russa.

O ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, acusou a Rússia, por sua vez, de usar o caso para fazer propaganda política e, com isso, acirrar o já difícil debate sobre migração na Alemanha. Autoridades alemãs disseram que menina também é cidadã alemã.

AS/afp/dpa

Leia mais