1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Projeto visa criar um milhão de empregos

Com um programa de fomento no valor de 150 bilhões de euro, a Comissão Hartz pretende vencer a crise de desemprego no Leste da Alemanha.

default

Peter Hartz: títulos públicos para combater o desemprego

A estratégia da Comissão Hartz está baseada na emissão de um novo título da dívida pública, que concederia incentivo fiscal aos investidores e que poderia mobilizar, segundo cálculo dos peritos, até um total de 150 bilhões de euros, no período de três anos. O capital arrecadado com tais títulos seria destinado então a medidas que visam criar um milhão de empregos, sobretudo no Leste do país.

A proposta pretende acoplar a concessão da ajuda estatal às empresas à criação de novos empregos. Assim, somente as firmas que contratassem pessoas desempregadas é que teriam o direito de usufruir do incentivo estatal, financiado através dos novos títulos: para elas, haveria um reforço do capital próprio e créditos subvencionados.

Juros fixos

O projeto, que consta do programa da Comissão Hartz e foi divulgado antecipadamente pela revista semanal Der Spiegel, busca suprir a falta de recursos públicos para o financiamento de medidas de combate ao desemprego. Os novos títulos com juros fixos seriam emitidos pelo Instituto de Crédito para a Reconstrução (KfW – Kreditanstalt für den Wiederaufbau), entidade financeira pertencente ao governo federal alemão.

O documento sugere ainda o perdão da dívida fiscal aos sonegadores que transferiram parte do seu capital para o Exterior. A condição sine qua non para que possam gozar da anistia é que o dinheiro seja trazido de volta ao país e aplicado, na sua totalidade, no programa de combate ao desemprego.

Crítica da oposição

O secretário-geral da CSU – União Social Cristã, Thomas Goppel, classificou o plano da Comissão Hartz como um "dispendioso jogo de estratégia". Goppel, que é um dos principais assessores de Edmund Stoiber, o governador da Baviera e candidato oposicionista a chanceler federal, acusou o governo de Berlim de falta de concepção na sua política de combate ao desemprego.

Numa entrevista concedida ao diário muniquense Süddeutsche Zeitung, Peter Hartz tinha conclamado a oposição democrata-cristã da CDU-CSU a examinar seriamente as propostas da comissão, caso vença as eleições de setembro próximo. Segundo Hartz, que é diretor da Volkswagen, embora tenha sido convocada pelo chanceler Schröder, a comissão é independente da política partidária e pretende apresentar idéias realizáveis em qualquer governo.

Os programas propostos só poderão ser concretizados se houver consenso entre os diversos grupos da sociedade, afirmou Hartz. Oficialmente, o documento da comissão só será apresentado e divulgado na sexta-feira, 16 de agosto.

Leia mais