1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Primeiro-ministro da Síria deixa o governo e se une a opositores de Assad

Premiê Riyad Hijab abandona o governo Assad e deixa a Síria rumo à Jordânia. Ele ocupava o cargo havia menos dois meses. Ministro alemão diz que a deserção indica avançado processo de erosão do regime.

O primeiro-ministro da Síria, Riyad Hijab, abandonou o governo do presidente Bashar al-Assad, uniu-se à oposição e deixou o país, disse o porta-voz dele nesta segunda-feira (06/08).

"Anuncio hoje a minha deserção do regime assassino e terrorista e anuncio que me uni à revolução pela paz e pela dignidade. Anuncio que, a partir de hoje, sou um soldado nesta revolução abençoada", disse Hijab num comunicado lido por seu porta-voz na emissora Al Jazeera.

Segundo a televisão estatal síria, Hijab – ex-ministro da Agricultura indicado para o cargo de premiê por Assad no fim de junho – foi demitido. Mas uma fonte do governo da Jordânia disse que ele fugiu para o país vizinho.

O ativista da oposição Haztham al-Abdallah, do Comitê de Coordenação Local, disse à agência de notícias DPA que o primeiro-ministro havia desertado com sua família e outros oficiais de alto escalão e encontra-se fora da Síria. Uma fonte do Exército Síria Livre relatou que a deserção ocorreu na madrugada desta segunda-feira.

A televisão estatal síria informou que o vice-primeiro-ministro, Omar Ghalwanji, assumirá o governo temporariamente.

Reações dentro e fora do país

O porta-voz de Hijab declarou à Al Jazeera que a deserção foi organizada pelo grupo de oposição Exército Sírio Livre e que o ex-premiê fará um pronunciamento ao povo sírio em breve.

"Foi acertado meses atrás que o Exército Sírio Livre o levaria a um lugar seguro, de onde ele anunciaria sua deserção", afirmou o porta-voz. Segundo ele, Hijab planejava deixar o governo desde o dia em que foi nomeado primeiro-ministro.

"A deserção de Riyad Hijab é o sinal para todas as pessoas honradas na Síria: é preciso desertar. Uma deserção dessa dimensão aconteceu e foi consolidada, então, não tenham medo, deixem esse regime criminoso", diz o comunicado.

"Essa deserção é muito importante, pois mostra que o regime está se desfazendo e que alguns de seus principais líderes estão se unindo aos rebeldes e ao povo sírio", disse George Sabra, porta-voz do Conselho Nacional Sírio, à DPA. "O regime está entrando em colapso e o fim se aproxima."

O ministro alemão do Exterior, Guido Westerwelle, declarou que a deserção de Hijab indica que o regime Assad está em avançado processo de erosão. "Os acontecimentos também mostram quão necessários são um fim imediato da violência e o estabelecimento de um governo interino sem Assad."

Syrien Bürgerkrieg Bombenanschlag Explosion im Staatsfernsehen in Damaskus

Estúdios da televisão estatal síria foram bombardeados em Damasco

Bomba explode em emissora

Poucas horas antes da deserção do premiê, uma bomba atingiu a sede da televisão e da rádio estatais em Damasco. A bomba explodiu no terceiro andar do prédio, e a emissora continuou a transmitir normalmente, apesar de ter mostrado imagens de pessoas sendo ajudadas a sair dos escombros.

"Apenas três pessoas ficaram levemente feridas na explosão, que causou grande prejuízo material", informou uma testemunha.

Enquanto isso, o governo enviou 25 mil soldados para o norte da província de Aleppo, em preparação ao que chama de "batalha decisiva". Ao mesmo tempo, ativistas relataram mais conquistas dos rebeldes na cidade.

LPF/rtr/dpa/afp
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais