1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Presidente italiano dissolve Parlamento e antecipa eleições

Após partidos de centro-direita terem se recusado a compor governo de transição, a ser encarregado de mudar lei eleitoral e tornar o país mais governável, Parlamento italiano foi dissolvido. Governo Prodi durou 20 meses.

default

Poder conferido aos pequenos partidos esfacela Parlamento em Roma

Após os partidos de centro-direita terem se recusado a compor um governo de transição, a ser encarregado de mudar a lei eleitoral para tornar o país mais governável, o Parlamento italiano foi dissolvido. Governo Prodi durou 20 meses. O presidente italiano, Giorgio Napolitano, dissolveu o Parlamento em Roma, antecipando – com isso – novas eleições da Itália, a serem realizadas em 13 e 14 de abril próximo. Até lá, Prodi se manterá na chefia de governo. A decisão pelo novo pleito foi tomada após o premiê Romano Prodi ter perdido o voto de confiança do Senado, no final de janeiro. A tentativa de compor um governo de transição, a ser encarregado de promover uma reforma no direito eleitoral, foi bloqueada pela oposição conservadora. Itália pouco governável sem reforma do direito eleitoral Após o fracasso da coalizão de centro-esquerda de Romano Prodi, o presidente Napolitano havia encarregado, há uma semana, o presidente do Senado Franco Marini de compor um governo de transição. A idéia seria incumbi-lo de reformar o direito eleitoral, a fim de criar condições políticas mais estáveis na Itália. A legislação vigente favorece os partidos menores, facilitando uma fragmentação do Parlamento. Conservadores sob Berlusconi ganhariam o pleito, segundo enquetes Franco Marino contou, no entanto, com a resistência da oposição de centro-direita de Silvio Berlusconi, que – confiante em seu prestígio junto aos eleitores, algo comprovado por enquetes – exigiu novas eleições. Napolitano lamentou a convocação de novas eleições parlamentares antes da reforma do direito eleitoral. Segundo enquetes recentes, os partidos de centro-direita se elegeriam nas próximas eleições. Berlusconi foi premiê da Itália entre 2001 e 2006, tendo perdido então as eleições para a aliança de centro-esquerda de Prodi. No final de janeiro, após a saída de um pequeno partido da coalizão de governo, Prodi perdera o voto de confiança numa votação no Senado. A margem de votos que garantia a hegemonia de sua aliança no Senado desde 2006 era mínima. O governo Prodi ameaçou romper várias vezes, até que a perda de maioria se concretizou definitivamente 20 meses após sua posse. (sm)

Leia mais