1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Presidente israelense vai incumbir Netanyahu de formar governo

Após consultar partidos com representação parlamentar, Reuven Rivlin dará sinal verde ao atual primeiro-ministro para que inicie formação de seu novo governo, que será apoiado pela direita.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, têm apoio parlamentar suficiente para a formação de uma nova coalizão de governo, disse nesta segunda-feira (23/03) o porta-voz do presidente de Israel, Reuven Rivlin.

Neste domingo e segunda-feira, Rivlin se reuniu com os dez partidos que asseguraram representação no Knesset para saber deles quem pretendem apoiar. Com base nas consultas, o presidente deverá incumbir Netanyahu com a tarefa de formar o novo governo israelense nesta quarta-feira, dia em que o comitê eleitoral divulgará oficialmente o resultado das eleições da semana passada.

Com o apoio garantido, a formação da coalizão passa a ser uma mera formalidade para Netanyahu.

Após uma campanha eleitoral acirrada, dominada pelo partido conservador Likud, liderado por Netanyahu, e a aliança esquerdista União Sionista, de Isaac Herzog, o atual premiê ficou em vantagem. Os resultados preliminares indicam que o Likud conquistou 30 cadeiras no Parlamento, enquanto a União Sionista acabou em segundo lugar, com 24. A aliança dos partidos árabes terminou em terceiro, com 13 assentos.

Pesquisas apontavam uma disputa apertada, com 27 cadeiras para cada lado, mas a situação mostrou ser diferente durante a apuração. "Contrariando as expectativas, conseguimos uma grande vitória para o Likud", festejou o premiê em seu discurso da vitória, em Tel Aviv.

A nova coalizão de direita deverá contar com 67 lugares no Knesset. Além do Likud (30), também vão compor o governo o ultranacionalista Lar Judaico (8), o linha-dura Yisrael Beiteinu (6), e os ultraortodoxos Shas (7) e Judaísmo Unido da Torá (7). O centrista Kulanu (10), liderado por Moche Kahlon, dissidente do Likud, também deve fechar com Netanyahu, e acabou fazendo a diferença em favor do premiê.

MSB/afp/dpa/ap

Leia mais