Presidente do México propõe menos restrições ao uso da maconha | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 21.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Presidente do México propõe menos restrições ao uso da maconha

Enrique Peña Nieto anuncia que enviará proposta ao Congresso para liberar o uso medicinal da maconha, além de descriminalizar o consumo pessoal até 28 gramas. "Os termos do debate sobre as drogas estão mudando", diz.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, anunciou nesta quinta-feira (21/04) que vai propor ao Congresso reformas para permitir o uso medicinal e científico da maconha, assim como descriminalizar o uso pessoal da substância.

"Vou assinar uma proposta de revisão da lei federal de saúde e do código penal federal para permitir o uso de medicamentos elaborados à base de maconha ou de seus princípios ativos", disse o presidente, durante evento na Cidade do México.

"Com essa proposta de reforma, damos passos firmes rumo a um novo modelo, que consiste em ver as drogas de um ponto de vista da prevenção, saúde e direitos humanos", acrescentou Peña Nieto.

Segundo o presidente, a dose permitida de maconha para uso pessoal recreativo aumentaria para 28 gramas, contra as cinco gramas já permitidas no país. "Isso quer dizer que o consumo deixará de ser criminalizado", afirmou.

O México está envolvido numa intensa guerra contra o narcotráfico, colocada em prática em 2006 pelo então presidente Felipe Calderón e que já deixou mais de 100 mil mortos. "Nosso país tem sofrido como poucos os efeitos nocivos do crime organizado", declarou Peña Nieto.

Mais recentemente, porém, o país vem mudando sua retórica para um enfoque menos sancionador em relação aos narcóticos. Na última terça-feira, em discurso na Sessão Especial da Assembleia Geral da ONU sobre Drogas, o presidente adiantou que está dando mais voz àqueles que são favoráveis à diminuição das restrições sobre maconha.

"É inegável: os termos do debate sobre as drogas estão mudando no México e no mundo. Os mexicanos conhecem muito bem os alcances e limitações do esquema essencialmente proibicionista e da chamada guerra contra as drogas", concluiu o líder nesta quinta-feira.

EK/dpa/lusa/rtr

Leia mais