Presidente do BNDES pede demissão | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 26.05.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Presidente do BNDES pede demissão

Indicada pelo presidente Michel Temer, Maria Silvia Bastos Marques alega motivos pessoais para deixar o cargo que assumiu há quase um ano. Paulo Rabello de Castro, do IBGE, assume a presidência do banco.

Maria Silvia Bastos Marques comandava a instituição desde junho de 2016

Maria Silvia Bastos Marques comandava a instituição desde junho de 2016

A presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, pediu demissão nesta sexta-feira (26/05), alegando motivos pessoais. A executiva comandava a instituição desde junho de 2016 e foi indicada para o cargo pelo presidente Michel Temer.

"Deixo a presidência do BNDES por razões pessoais, com orgulho de ter feito parte da história dessa instituição tão importante para o desenvolvimento do país", anunciou Marques, que foi a primeira mulher a comandar o banco.

Segundo a assessoria do Planalto, a demissão pegou o presidente de surpresa. Em nota, a Presidência afirma que Marques "despolitizou" a relação do banco com as empresas.

"Seu trabalho honrou o governo e moralizou um setor estratégico para o país, despolitizando a relação com o setor empresarial e elegendo critérios profissionais e técnicos para a escolha de projetos a serem contemplados com financiamentos oriundos de recursos públicos. Deixará como legado um modelo a ser seguido em toda máquina pública", disse a nota.

Marques deixa o cargo em meio a críticas de setores empresariais por ter reduzido os financiamentos do banco. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a economista já vinha expressando descontentamento há dois meses.

Em meados de maio, o banco foi alvo de uma operação da Polícia Federal (PF) que investigava irregularidades na aprovação de investimentos para a expansão da maior processadora de carne do mundo, a JBS, entre 2007 e 2009.

A situação da instituição piorou quando foi revelado o conteúdo de delações premiadas de executivos da empresa que admitiram ter subornado políticos em troca de financiamentos.  

O pedido de demissão de Marques ocorreu na mesma semana em que o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), autorizou a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os empréstimos feitos pelo BNDES.

O governo anunciou que o economista Paulo Rabello de Castro irá assumir a presidência do BNDES. Desde maio de 2016, Rabello estava no comando do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

CN/lusa/abr/ots

Leia mais