Presidente alemão defende política migratória que atraia talentos | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 17.06.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Presidente alemão defende política migratória que atraia talentos

Horst Köhler diz que empresas alemãs necessitam de jovens talentos e que uma política migratória mais inteligente pode ajudar a Alemanha a atraí-los. Estrangeiros devem ser integrados à sociedade alemã.

default

Köhler: 'Trata-se de conquistar estrangeiros talentosos em vez de apenas tolerá-los'

O presidente da Alemanha, Horst Köhler, defendeu nesta terça-feira uma política de imigração "mais inteligente" para o país. No seu terceiro pronunciamento à nação, ele disse que as empresas alemãs necessitam de mais jovens talentos, e uma política migratória mais inteligente poderia trazê-los ao país.

"Algumas democracias ocidentais escolhem seus imigrantes de uma forma tão inteligente que eles são mais qualificados que a média da população nativa. Trata-se de conquistar estrangeiros talentosos em vez de apenas tolerá-los. Trata-se de dizer conscientemente a eles: nós, na Alemanha, somos uma equipe forte, oferecemos a vocês condições atraentes e ficaremos felizes se vocês quiserem jogar do nosso lado", afirmou Köhler.

Da política de imigração defendida pelo presidente fazem parte a naturalização de estrangeiros e os mesmos direitos de participação na sociedade para aqueles que estão integrados e querem viver na Alemanha a longo prazo.

Köhler disse que os estrangeiros devem se integrar à sociedade alemã. "Quem não faz isso, deve-se perguntar a que sociedade afinal pertence. Enclaves de outros países vivendo segundo leis próprias não existirão de forma alguma na Alemanha", alertou Köhler.

Mais reformas

O foco do discurso de Köhler foi a modernização do país e o avanço das reformas. Ele voltou a elogiar a polêmica Agenda 2010 do ex-chanceler federal Gerhard Schröder e defendeu a sua expansão para uma Agenda 2020.

Para o presidente, os primeiros sucessos do plano do governo social-democrata e verde estão aparecendo no mercado de trabalho, já que mais de 1,6 milhão de pessoas encontraram emprego. Ele também defendeu a simplificação do sistema tributário alemão, que classificou como injusto e não transparente.

Köhler retomou também o tema da responsabilidade social da elite econômica alemã, cujo comportamento, na opinião do presidente, deveria ser exemplar. "Entre nós, os ricos, belos e poderosos também não devem atravessar a rua no sinal vermelho", afirmou.

"Vai demorar até que seja recuperada a confiança perdida com o comportamento errado verificado na direção de algumas empresas alemãs e que vai desde a sonegação de impostos até a espionagem dos próprios empregados", criticou o presidente.

O discurso foi proferido no Castelo Bellevue, em Berlim, residência oficial do presidente alemão.

Leia mais