Presente de migrante para Merkel causa batida policial | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 28.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Presente de migrante para Merkel causa batida policial

Polícia invade loja de correio em cidade do oeste da Alemanha depois que requerentes de asilo entregam pacote endereçado à chanceler alemã. Caixa continha escultura dedicada à chefe de governo.

Imigrante Mohammad Esmailzadeh, com sua mulher, Nagris Esmailzadeh, e filho Arash Esmailzadeh mostram escultura e pacote para líder alemã

Mohammad Esmailzadeh, com mulher, Nagris, e filho Arash mostram escultura para líder alemã

A polícia invadiu uma loja de correio no oeste da Alemanha nesta terça-feira (27/12), depois que dois requerentes de asilo tentaram enviar um pacote contendo um presente de agradecimento para a chanceler federal alemã, Angela Merkel.

Um empregado de uma agência do correio num posto de gasolina da cidade de Naunheim chamou a polícia após o requerente de asilo Mohammad Esmailzadeh e seu filho, Arash, entregarem o pacote no estabelecimento. "O funcionário achou a coisa suspeita, devido aos eventos da semana passada", disse um porta-voz da polícia à agência de notícias DPA.

A área ao redor do posto de gasolina foi isolada pela polícia, e um cão farejador foi levado ao local para ajudar na inspeção do pacote, que continha uma escultura feita pelo refugiado mais velho para agradecer à chefe de governo por ele estar na Alemanha.

"Nós ainda gostaríamos de enviar o presente para a chanceler federal. Mas agora nós não sabemos como", disse Arash Esmailzadeh ao jornal local Rhein Zeitung. O alarme falso ocorreu pouco mais de uma semana depois de um ataque com caminhão a uma feira de Natal em Berlim, que matou 12 pessoas e deixou dezenas de feridos.

Recorde de partidas voluntárias

A Alemanha registrou neste ano o maior número de partidas voluntárias de estrangeiros dos últimos 16 anos, com cerca de 55 mil requerentes de asilo e migrantes voltando para seus países, segundo reportagem publicada nesta quarta-feira pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung, baseada em estimativas do Departamento de Migração e Refugiados da Alemanha (Bamf). A cifra, que inclui registros entre janeiro e novembro de 2016, ultrapassa em cerca de 20 mil o número total de retornados voluntariamente no ano anterior.

A grande maioria provém do oeste dos Bálcãs, de países cujos cidadãos praticamente não têm chance de serem reconhecidos como refugiados. A Albânia é o país de origem que recebeu o maior número de retornados: cerca de 15 mil até novembro, de acordo com o Bamf.

Em segundo lugar, ficaram a Sérvia, Iraque e Kosovo, com 5 mil, respectivamente. Um aumento expressivo no número de retornos voluntários foi registrado entre cidadãos do Afeganistão, Irã e Iraque.

Para estimular partidas voluntárias, o governo da Alemanha oferece uma espécie de compensação financeira, que pode chegar até 4,2 mil euros para uma família de cinco pessoas que teve o requerimento de asilo negado, além de um auxílio-viagem de até 3 mil euros por família.

MD/dpa/rtr

Leia mais