1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Preparativos para Jogos de 2016 são os piores já vistos, diz COI

Vice-presidente do COI afirma que Brasil está ainda mais atrasado que a Grécia, mas descarta mudança de cidade-sede. Prefeito garante que todas as obras estão com o cronograma em dia.

default

Operário trabalha nas obras de expansão do metrô do Rio

O vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), John Coates, afirmou nesta terça-feira (29/04) que os preparativos para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, são "os piores" já vistos por ele. O australiano, porém, descartou qualquer plano B: "Nós iremos ao Rio", disse.

Durante um fórum em Sidney, Coates lembrou que, em alguns locais, as construções sequer começaram e que as obras de infraestrutura estavam significantemente atrasadas. Outro ponto de reclamação, a dois anos da realização dos Jogos, foi a qualidade da água, um problema para competições como as de vela.

"A situação é crítica", afirmou Coates. "E ninguém é capaz de dar respostas neste momento", completou, em referência ao fato de que a cidade está, no momento, concentrada nos preparativos para a Copa do Mundo.

Coates, que fez seis viagens ao Brasil como parte da comissão de coordenação do COI, disse que os brasileiros estão em diversos aspectos muito atrás da Grécia, sede das Olimpíadas de 2004 e que também teve problemas de atrasos nas obras. "Eu acredito que a situação esteja pior que em Atenas", comentou.

IOC Exekutivdirektor Gilbert Felli

Gilbert Felli, diretor-executivo do COI, irá ao Rio para supervisionar os preparativos para os Jogos

O australiano citou como dificuldade o fato de ter que lidar, ao mesmo tempo, com três esferas de poder no Brasil: "Há pouca coordenação entre o governo federal, estadual e municipal, que é responsável por uma série de construções", disse.

O COI formou uma força-tarefa especial para tentar acelerar os preparativos, mas Coates alertou que há problemas básicos, e que os atrasos nas construções são apenas parte deles. Segundo ele, os problemas ainda se agravam com o Rio tendo que lidar com questões sociais graves e com os preparativos para a Copa do Mundo.

Gilbert Felli, diretor-executivo do COI, decidiu enviar ao Brasil uma equipe para lidar com a questão dos atrasos na obras. Na semana passada, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, rebateu as críticas, argumentando que demandas desnecessárias estariam sendo feitas pelo Comitê Olímpico. Segundo ele, todas as obras estão com o cronograma em dia.

RCC/rtr/dpa