1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Premiê canadense ignora propostas de Bush na cúpula do G-8

Embora todos prometam que o assunto não predominará, a conferência reunindo as maiores potências mundiais na província de Alberta já está marcada pelas palavras do presidente dos EUA sobre a paz no Oriente Médio.

default

Cabeças ocas em protesto contra o encontro, na cidade vizinha de Calgary

A conferência das sete maiores nações industriais – Grupo dos Sete – e Rússia, em Kananaskis, iniciou-se sob o signo do mal-estar diplomático. O ponto nevrálgico foram as propostas do presidente norte-americano, George W. Bush, para a paz entre Israel e Palestina. Abrindo o evento nesta quarta-feira (26), o primeiro-ministro do Canadá, Jean Chrétien, enfatizou que o tema Oriente Médio está totalmente excluído da pauta do encontro.

Até a quinta-feira, ele pretende fechar um pacote bilionário de ajuda para a África. Também estão presentes em Kananaskis altos políticos daquele continente, incluindo a África do Sul e o Egito. O premiê e anfitrião assegurou que os africanos serão consultados sobre o plano de ação.

Jogo de forças – Chrétien foi rigoroso ao abrir o colóquio, ignorando todas as perguntas sobre o plano de Bush, durante sua saudação aos convidados. "A ordem do dia está fixada", insistiu, "minha prerrogativa é presidir este encontro", e ele não fará qualquer tipo de concessão. Segundo fontes presidenciais canadenses, não houve contatos com Washington a respeito da investida do presidente dos EUA.

Num discurso controvertido, Bush propusera que dos pré-requisitos para a criação de um Estado palestino constem tanto reformas diplomáticas como a destituição do governo Arafat. Sem citar nomes, ele acusou as autoridades autônomas de apoiarem o terrorismo e a corrupção. De Israel, Bush exigiu a retirada de tropas dos territórios ocupados e o fim da construção de assentamentos.

Apesar das resistências, o tema "Oriente Médio" deverá vir à baila num primeiro jantar informal, especula a imprensa local. O embaixador norte-americano no Canadá, Paul Cellucci, declarou ao jornal National Post que Bush deseja apresentar suas sugestões aos outros governantes, pois estaria muito interessado em reações e eventuais idéias complementares.

O apoio da Alemanha – O chanceler federal alemão, Gerhard Schröder, concorda que a África seja o tema central da cúpula do G-8. Além disso, se discutirá a ajuda para a Rússia na eliminação de resíduos atômicos, "pois é uma coisa perigosa para todos nós", lembrou. Outro ponto essencial no programa é a luta contra o terrorismo, "que não deixou de ser importante". Está planejada a aprovação de um pacote de medidas de segurança para os transportes aéreo e marítimo.

Do esqui à política

Kananaskis foi especialmente construída para as Olimpíadas de Inverno de Calgary, em 1988. A aldeiazinha situada nas Montanhas Rochosas, a uma altura de 1700 metros, manteve-se como exclusiva estação de esqui. Ela dispõe de apenas três hotéis e sua clientela é formada, sobretudo, pelos habitantes de Calgary, que fica a 100 quilômetros de distância.

A escolha do local para a cúpula do G-8 recaiu sobre Kananaskis justamente por seu difícil acesso: apenas uma pequena estrada leva até a aldeia, partindo do Transcanada Highway. A intenção dos organizadores é evitar, acima de tudo, um espetáculo de mídia, protestos e violência policial, como ocorreu na conferência de Gênova, no ano passado.

Conhecida como "K-Country", a região circundante é um dos mais importantes locais de férias da província de Alberta, no oeste do Canadá. Quase toda a área está sob proteção ambiental: ali vivem mais ursos, linces e lobos do que na maior parte do país. (av)

Leia mais