1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Preço do petróleo atinge menor valor em cinco anos e abala bolsas internacionais

Ações europeias, asiáticas, americanas e brasileiras foram influenciadas pela baixa do barril de WTI, que chegou a ficar abaixo dos 50 dólares pela primeira vez desde 2009.

A queda do preço do petróleo deu leve sinal de alívio nesta terça-feira (06/01), após o barril da commodity negociada nos EUA (WTI) ficar abaixo dos 50 dólares no dia anterior, pela primeira vez desde 2009. A queda afetou as bolsas de valores mundo afora.

Após a mínima em mais de cinco anos – que representou uma queda de 5,2% frente ao valor de fechamento da última sexta-feira – o barril do WTI fechou na segunda-feira em 50,04 dólares. Na manhã desta terça-feira, ganhou mais seis centavos, sendo negociado a 50,10 dólares.

Já o Brent, usado para estabelecer o preço do petróleo vendido pelo mundo, também abriu em queda nesta terça-feira, valendo 52,90 dólares na Bolsa de Mercadorias e Futuros de Londres – 0,3% a menos do que no fechamento da sessão anterior. Após a queda acentuada, o barril subiu para 53,33 dólares.

Influenciadas pela depreciação da commodity, as ações caíram pelo terceiro dia seguido nas principais bolsas europeias nesta terça-feira. O índice CAC40, da bolsa de Paris, e o Dax, da bolsa de Frankfurt, abriram em queda de 0,8%, enquanto o britânico FTSE perdeu 1,3%.

As bolsas da Ásia também sofreram queda pelo segundo dia consecutivo, em meio à baixa do petróleo e às preocupações quanto a uma possível saída da Grécia da zona do euro. O índice Nikkei, da bolsa de Tóquio, caiu 3%, a maior queda em quase dez meses.

Nesta segunda-feira, Wall Street havia sofrido as piores perdas em três meses. E os efeitos da baixa do petróleo também se fizeram sentir no Brasil. O Ibovespa teve sua segunda queda seguida neste ano, registrando perdas de 2,05%. A Petrobras teve 8% de queda, abalada pela baixa da commodity no mercado internacional diante de um excesso de oferta.

LPF/rtr/ap/lusa

Leia mais