1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Preço das ações do Postbank surpreende

Começou a subscrição de ações do Postbank, o banco com o maior número de correntistas na Alemanha. A margem de preço estabelecida surpreendeu e gerou críticas dos acionistas. Serão lançadas 82 milhões de ações.

default

Central do banco em Bonn

Ao iniciar nesta segunda-feira (7) a campanha de subscrição de ações do Postbank, Klaus Zumwinkel, o presidente da Deutsche Post, a empresa alemã de correios à qual pertence o banco, defendeu a margem de preço fixada, considerada alta por gerentes de alguns fundos de investimento alemães.

"Ela contempla todos os interesses e reflete o valor real do banco, deixando uma margem de fantasia para cima", declarou Zumwinkel em Frankfurt. Ela vai de 31,50 euros a 36,50 euros. As ações podem ser subscritas a partir de hoje. Nesta semana, começam as apresentações na Europa e a seguir nos EUA.

Divergências sobre o valor da empresa

Investidores estrangeiros teriam demonstrado grande interesse nos últimos meses, segundo a Deutsche Post, que pretende lançar cerca de 82 milhões de ações, abrindo 49,9% do capital da empresa. Elas serão oferecidas principalmente a investidores institucionais. No máximo 15% deverão ficar nas mãos de particulares. A um preço médio de 33 euros por ação, o lançamento renderia 2,7 bilhões de euros.

Nos últimos meses, houve divergências entre a direção do Postbank e da Deutsche Post, de um lado, e os grandes fundos de investimento, de outro, quanto ao valor do banco. O Deutsche Bank, que coordena o lançamento, estimou o valor do Postbank entre 4,4 e 5,3 bilhões de euros.

Críticas e expectativas

A Associação Alemã de Proteção aos Títulos de Valores mostrou-se surpresa com o preço. "É bem ambicioso", comentou lapidarmente seu porta-voz, Jürgen Kurz. Os acionistas contavam que ele girasse em torno de 30 euros.

"Se o lançamento de ações fracassar, por causa do preço, será uma catástrofe", disse Reinhild Keitel, da Associação dos Investidores. Isso colocaria em risco até o lançamento de ações de outras empresas. Os investidores até hoje não tiveram motivo para se alegrar com ações da União, comentou, referindo-se à grande desvalorização das ações da operadora Deutsche Telekom.

Depois das fortes perdas nas bolsas de valores, os acionistas esperam ansiosamente a oportunidade de fazer bons negócios e que o mercado de ações volte a funcionar como nos bons tempos. Nesse sentido, o dia tão esperado é o 21 de junho, quando as ações do Postbank começarão a ser negociadas na bolsa. O preço da ação será definido na véspera. Será o primeiro grande lançamento na Bolsa de Frankfurt desde 2000.

O fim da abstinência

Em maio, duas empresas lançaram ações, acabando com a longa abstinência de emissões no último ano e meio: a Mifa, que tornou-se o maior fabricante de bicicletas da Alemanha, e a Wincor Nixdorf, que produz caixas eletrônicos.

Mas ambas são "café pequeno" para os acionistas, comparadas ao Postbank, o maior banco alemão em matéria de clientela, com 11,5 milhões de correntistas. Ao mesmo tempo, é um dos mais lucrativos estabelecimentos de crédito. Tendo se separado do correio alemão em 1990, no marco de sua privatização, o Postbank é uma sociedade de ações desde 1995. Seu lucro duplicou-se para 352 milhões de euros em 2003.

Leia mais