1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Preço alto pelo fim das sanções

Depois de assumir sua responsabilidade pelo atentado terrorista sobre Lockerbie, a Líbia sinalizou também com indenização às vítimas do ataque à discoteca La Belle de Berlim.

default

Escombros da discoteca La Belle


Há meses que o regime de Muammar Gadafi comunicou à Alemanha sua disposição para pagar pelo ato terrorista de 1986, na discoteca La Belle então muito freqüentada por soldados americanos, em Berlim, segundo a última edição da revista alemã Der Spiegel.

Numa sentença em novembro de 2001, o Tribunal Regional de Berlim responsabilizou o serviço secreto líbio pelo atentado em que morreram três pessoas e outras 200 ficaram feridas. O governo alemão insistiu em indenização da Líbia e um grupo de advogados que representam 67 vítimas não americanas está trabalhando numa solução com juristas do Ministério das Relações Exteriores, segundo a Der Spiegel.

Meio milhão por vítima - A exigência é de 500 mil euros por vítima, em média. O dinheiro deverá ser investido num fundo para se pagar cada vítima uma soma de acordo com as lesões sofridas. Os pagamentos poderão ser feitos em 2003.

Depois da Alemanha, a França é o segundo membro da União Européia com o qual a Líbia deve ajustar contas, literalmente, por seus atos terroristas. Paris também está negociando uma indenização superior a 30,5 milhões de euros pela derrubada de um avião francês, em 1989, quando voava de Brazaville para Paris. Morreram todas as 170 pessoas a bordo. Como Alemanha e França são membros do Conselho de Segurança da ONU, é tido como certo que Trípoli vai firmar acordo de indenização com Berlim e Paris.

Em conversa pelo telefone com o presidente da Comissão Européia, Romano Prodi, o líder revolucionário Gadafi, teria dito que quer normalizar as relações da Líbia com a União Européia o mais cedo possível. Segundo revelou um porta-voz da Comissão em Bruxelas, Gadafi quer encerrar rápido o "doloroso capítulo do terrorismo, para que a Líbia reencontre o seu lugar na comunidade internacional".

Lockerbie & EUA – Para garantir o voto dos Estados Unidos a favor da suspensão das sanções contra a Líbia, este país se dispôs a pagar US$ 2,7 bilhões de indenização aos familiares das 270 vítimas do atentado sobre Lockerbye, em 1988. Um jumbo da PanAm foi abatido em 21 de dezembro daquele ano, quando voava sobre a cidade escocesa. Todos os passageiros e tripulantes morreram.

A Líbia assumiu a responsabilidade pelo atentado numa carta ao Conselho de Segurança da ONU, divulgada na sexta-feira (15), nos Estados Unidos. O Departamento de Estado norte-americano esclareceu, todavia, que uma suspensão das sanções da ONU não afetaria suas relações bilaterais com país de Gadafi. Washington continuaria inquieto com os abusos dos direitos humanos e a inexistência de instituições democráticas no país africano.

O governo do George W. Bush se preocupa especialmente com o que chama de "papel destrutivo da Líbia nos conflitos regionais africanos" e, nesse contexto, com o possível desenvolvimento de armas de destruição em massa. Para os EUA, a Líbia integra o "eixo do mal" e apóia o terrorismo internacional.

Leia mais