1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Prêmie da Irlanda do Norte renuncia

Ministros do governo também entregam cargos. Suspeita de continuidade de atividades do Exército Republicano Irlandês chega a Parlamento e causa ruptura em coalizão.

O primeiro-ministro da Irlanda do Norte, Peter Robinson, do Partido Democrático Unionista (DUP), que é a favor da permanência da província no Reino Unido, renunciou nesta quinta-feira (10/09) e pediu ao governo britânico que suspenda o Parlamento local, em meio à controvérsia sobre a continuidade das atividades do Exército Republicano Irlandês (IRA).

Além de Robinson, quase todos os seus ministros entregaram os cargos. Apenas a ministra das Finanças Arlene Foster permaneceu no governo e substituirá interinamente o primeiro-ministro.

A secretária britânica de Estado para a Irlanda do Norte, Theresa Villiers, afirmou que a renúncia dificulta o trabalho do Executivo e pediu que os partidos voltem à mesa de negociação. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse estar "muito preocupado" com a situação.

Robinson havia ameaçado renunciar na quarta-feira, caso a sessão do parlamento norte-irlandês não fosse suspensa, devido à perda de confiança no partido que governa a província ao lado do DUP.

Volta do IRA

O assassinato de um ex-atirador do IRA, em agosto, contribuiu para aumentar a crise política no governo norte-irlandês. A polícia suspeita que o grupo paramilitar esteja envolvido no crime. O caso culminou, na quarta-feira, com a prisão de membros do Sinn Féin, partido da coalizão, mas que defende a independência da Irlanda do Norte e foi o braço político da organização.

Robinson e o DUP alegam que o assassinato revelou que o grupo paramilitar continua ativo e armado. O Sinn Féin nega as alegações. Como protesto contra o Sinn Féin, o segundo maior partido pró-Reino Unido da Irlanda do Norte, o Partido Unionista do Ulster (UUP), rompeu com o governo na última semana.

O vice-primeiro-ministro, Martin McGuinness, do Sinn Féin, afirmou que a renúncia de Robinson estaria, na verdade, relacionada à rivalidade entre partidos pró-britânicos diante das eleições regionais no próximo ano.

CN/rtr/afp/dpa/

Leia mais