1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Portal ajuda na busca de emprego

O Departamento Federal do Trabalho deu mais um passo em sua modernização, ao lançar um novo serviço via internet para empresas e quem está à procura de emprego.

default

Procurar trabalho ficará mais fácil

O sucesso do novo portal «arbeitsagentur.de», lançado em 1º de dezembro, foi tão grande que chegou a causar problemas ao servidor: até um milhão de pessoas chegaram a consultar ao mesmo tempo as suas 350 mil ofertas de trabalho. E como o endereço continua com muitos acessos, há uma longa espera até que as informações solicitadas apareçam na tela.

"Estamos tratando de melhorar o acesso e confiamos que dentro em breve o download irá se normalizar. Enquanto isso não acontecer, pedimos a compreensão de nossos clientes para o tempo de espera inicial", diz Jürgen Koch, diretor do projeto Mercado de Trabalho Virtual no Departamento Federal do Trabalho (BA).

Investimento para reduzir custos do desemprego

Por questão de rentabilidade, o planejamento abdicou de dotar o servidor de capacidades suplementares somente para a fase inicial, os primeiros dias após o lançamento do portal. Isso teria causado custos adicionais de 2 a 3 milhões de euros. Um argumento que cala reclamações em época de buraco nos cofres públicos.

O projeto custou 77 milhões de euros. O desenvolvimento e o portal em sua primeira fase consumiram 29 milhões de euros. O BA espera poupar recursos à medida em que a nova agência virtual contribua para agilizar a colocação de desempregados. O novo sistema pode reduzir a duração média do desemprego - essa a expectativa. Seria possível economizar um bilhão de euros somente com uma redução de uma semana na média do período que uma pessoa passa sem trabalho e recebendo salário-desemprego.

A maior parte do dinheiro, porém - 48 milhões de euros -, ficou por conta do novo sistema interno de TI para os 35 mil funcionários nas centenas de agências do Arbeitsamt espalhadas pelo país. Ele substitui um sistema completamente ultrapassado e com mais de 30 anos de uso.

Portal para desempregados e empregadores

Depois de introduzir outras novidades de êxito discutível, como as agências para serviços de pessoal - um tipo de empreiteiras -, o departamento concretizou um passo decisivo de sua reforma para transformar-se em um moderno prestador de serviços no mercado de trabalho. As previsões apontam que dentro de dois anos, 50% da colocação e seleção de pessoal se dará através da rede.

O portal oferece atualmente também 200 mil postos de aprendizado profissional em empresas e o perfil de 2,2 milhões de pessoas que procuram emprego. Após o registro gratuito, o usuário pode publicar, reescrever e administrar por conta própria seu anúncio, seja procurando ou oferecendo trabalho.

Até o fim de 2004 o portal será ampliado. A primeira etapa inclui o banco de dados com toda a oferta e a demanda. Elas podem ser comparadas com exatidão, graças a um inovador sistema de busca. A partir de maio do próximo ano, as empresas poderão escolher seus novos funcionários, aprendizes e estagiários através de um gerenciamento integrado de candidatos.

Concorrência desleal?

A idéia é integrar ao portal não somente os empregadores, como também as bolsas e agências particulares de empregos. Já antes de dar o sinal de partida para o «arbeitsagentur.de», o BA assinou contratos de cooperação com alguns clientes da fase de teste, como Manpower, jobs.de, Degussa e JobStairs.

A estréia, porém, foi acompanhada de crítica da concorrência. Para o gerente da agência online Monster, Kai Deininger, o Departamento Federal do Trabalho está montando um monopólio na colocação profissional. Além do mais, ele pretenderia usar gratuitamente os dados das agências privadas, o que não seria legal. As quatro maiores são a Jobpilot, Jobscout, Monster e Stepstone. Juntas, elas cobrem 80% do mercado online de ofertas de emprego, onde atuam 450 firmas na Alemanha.

Leia mais