Política anti-imigratória de Sarkozy é alvo de críticas até em seu partido | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 16.08.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Política anti-imigratória de Sarkozy é alvo de críticas até em seu partido

Campanha contra etnias sinto e rom do presidente francês já deportou 700 pessoas para a Romênia e Bulgária. Para os críticos, política anti-imigratória de Sarkozy demonstra preocupação com eleições presidenciais de 2012.

default

Acampamento em Saint Denis, subúrbio de Paris

Há algumas semanas, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, iniciou campanha contra grupos ciganos na França: Sarkozy deu início ao fechamento de acampamentos ilegais e expulsou do país vários estrangeiros pertencentes às etnias sinto e rom. O esforço de Nicolas Sarkozy para expulsar os ciganos da França provoca agora reação até de correligionários do presidente conservador.

"Essa política é um escândalo", rebateu nesta segunda-feira (16/08) François Goulard, membro da União por um Movimento Popular (UMP). Para Goulard, o governo faz os franceses de "palhaços" com essa medida, porque o problema de segurança no país "não tem a nada a ver com alguns grupos de sinto e rom."

No último domingo, membros dessas etnias fecharam uma rodovia importante próxima a Bordeaux em protesto contra a expulsão de centenas de ciganos. A interrupção do tráfego durou cinco horas e provocou congestionamento em ambos os sentidos da estrada.

Os manifestantes haviam sido expulsos na manhã de domingo de um acampamento na cidade de Anglet, no sul da França, e foram proibidos pelas autoridades de se instalarem numa área de exposições próxima a Bordeaux.

Mais críticas

O político europeu verde Daniel Cohn-Bendit também criticou a medida adotada por Sarkozy. Em entrevista ao jornal Le Monde, o político disse que a conduta do presidente francês pode levar à exclusão e que seria "uma medida populista a custo das minorias."

Já o partido ultraconservador francês Frente Nacional afirma que a campanha contra os sintos e rom faz parte da manobra política de Sarkozy para angariar mais votos nas eleições presidenciais de 2012. Bruno Gollnisch, presidente do partido, critica o presidente francês por tentar desviar a atenção da população dos verdadeiros escândalos políticos do país.

Apesar de a política anti-imigratória de Sarkozy ser alvo de severas criticas, pesquisas de opinião mostram que a maioria dos eleitores franceses aprova as medidas.

Frankreich Polizei Räumt Roma Lager in Langlet

Policiais descocupam assentamento ilegal

As etnias na França

Originários do Leste Europeu, cerca de 15 mil membros das etnias sinto e rom vivem atualmente na França. Alguns moram em acampamentos autorizados, outros ocupam áreas ilegais ou construções abandonadas.

Em julho último, cerca de 700 ciganos foram deportados da França para a Romênia e Bulgária. Segundo os planos anunciados por Nicolas Sarkozy e reiterados pelo ministro francês do Interior, Brice Hortefeux, 300 assentamentos ilegais serão fechados nos próximos três meses.

Além das expulsões e da destruição dos acampamentos, Hortefeux também encarregou alguns agentes fiscais de inspecionar os proprietários das caravanas que, segundo o ministro, "são puxadas por alguns carros muito potentes".

Membros da etnia rom originários da Romênia e Bulgária são considerados cidadãos europeus e, portanto, têm o direito de viajar livremente pela União Europeia. No entanto, em caso de crime, a lei permite que eles sejam deportados.

NP/dpa/afp
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais