1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Polícia usa gás lacrimogêneo contra manifestantes em São Paulo

Imprensa alemã repercutiu confrontos entre policiais e manifestantes durante a greve de funcionários do metrô, a três dias da abertura da Copa do Mundo.

A imprensa alemã repercutiu nesta segunda-feira (09/06) os confrontos desta manhã entre policiais e manifestantes durante a greve de funcionários do metrô de São Paulo, a três dias da abertura da Copa do Mundo. De acordo com as agências de notícias, em choques entre quem protestava e a Tropa de Choque da Polícia Militar, policiais usaram bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes na capital paulista e desocupar a estação Ana Rosa.

Os grevistas do metrô foram apoiados por um grupo de cerca de 100 ativistas, que bloquearam não só o acesso à estação, como a Rua Vergueiro, nas proximidades do metrô, colocando fogo em lixo espalhado na via pública.

O metrô de São Paulo anunciou nesta segunda-feira ter demitido 60 funcionários por causa da paralisação dos metroviários, que está completando cinco dias. No domingo, a Justiça considerou a greve abusiva, liberando o governo do Estado para demitir os que se negaram a retornar a seus postos de trabalho.

Somente 31 das 65 estações de metrô da capital paulista estiveram funcionando nesta segunda-feira.

O site da revista alemã Der Spiegel destaca em reportagem que a cidade de São Paulo, palco da abertura da Copa do Mundo na quinta-feira, está ameaçada de ter seu trânsito paralisado.

A palavra "caos" é usada em matérias sobre os tumultos nos sites de jornais importantes, como o Handelsblatt e o Süddeutsche Zeitung. Este último destaca que engarrafamentos na cidade chegam a "200 quilômetros" e afirma que as autoridades administrativas estão "sobrecarregadas" com as revoltas. A reportagem lembra que a presidente Dilma Rousseff classificou a greve como uma "campanha sistemática" contra a Copa.

MD/afp/dpa/sid

Leia mais