1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Polícia tailandesa enfrenta protestos antigoverno com violência

Agentes recorreram a gás lacrimogêneo para conter confrontos entre opositores e apoiadores da primeira-ministra Yingluck Shinawatra, em Bangkok. Governo aconselha residentes a não deixarem suas casas durante a noite.

A polícia da capital Bangkok lançou granadas de gás lacrimogêneo contra manifestantes que protestavam contra o governo da primeira-ministra tailandesa, Yingluck Shinawatra. Os choques atravessaram a noite de sábado para domingo (01/12) e provocaram pelo menos duas mortes por ferimentos a bala.

Quatro pessoas já morreram e dezenas ficaram feridas desde o início dos confrontos violentos entre apoiadores e opositores da chefe de governo tailandesa. Neste domingo, os protestos continuaram, com os manifestantes jogando pedras ou coquetéis molotov nos policiais.

As manifestações afetaram diretamente a primeira-ministra, obrigando-a a abandonar um complexo policial em Bangkok onde havia sido programada uma coletiva de imprensa. Os manifestantes estavam prestes a invadir o prédio quando Yingluck foi levada para um lugar não revelado.

O governo tailandês advertiu os moradores da capital Bangkok de que não deixassem suas casas durante a noite. "Pedimos às pessoas que, para sua segurança, não saiam de casa, a fim de não se tornarem vítimas dos provocadores", apelou o vice-primeiro-ministro Pracha Promnok em discurso televisionado.

Thailand Protest Regierung Demonstration Krawalle Bangkok

Opositores do governo derrubam barricadas durante manifestação em frente à sede governamental

"Golpe do povo"

Para os líderes da oposição, Yingluck estaria servindo de marionete para seu irmão, Thaksin Shinawatra, que deixou o poder após um golpe de Estado, em 2008. Os oposicionistas convocam um "golpe do povo", encorajando os manifestantes a ocuparem órgãos públicos, estações de TV, delegacias de polícia e os escritórios da premiê. Atualmente, Thaksin Shinawatra vive exilado em Dubai.

Cerca de 21 mil policiais e 3 mil soldados foram mobilizados para proteger as instalações do governo ao redor da capital tailandesa. A tomada de prédios teve início na última segunda-feira, quando a oposição lançou seu pedido de ocupação.

Yingluck prometeu não ordenar o uso da força e ofereceu-se para sentar à mesa de negociações com os partidos de oposição. Sua oferta foi rejeitada.

CA/rtr/ap

Leia mais