1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Polícia russa prende suspeitos de assassinar oposicionista russo

Uma semana após a morte Boris Nemtsov, investigadores dizem ter prendido dois homens do Cáucaso que supostamente teriam envolvimento direto com a morte de um dos mais destacados críticos do Kremlin.

Uma semana após o assassinato do oposicionista Boris Nemtsov, a polícia russa prendeu dois suspeitos do crime, que seriam dois cidadãos do Cáucaso, como informou neste sábado (07/03) o diretor do Serviço Federal de Segurança (FSB), Alexander Bortnikov, em Moscou. O presidente russo, Vladimir Putin, teria sido informado das detenções.

Há fortes evidências de que os homens estavam envolvidos diretamente no ocorrido, informou a agência de notícias Interfax, citando fontes ligadas aos investigadores. De acordo com relatos da mídia, os suspeitos foram levados para a prisão de segurança máxima de Lefortovo, em Moscou. Na próxima semana, um tribunal deve decidir se permanecerão em prisão preventiva.

O líder oposicionista Boris Nemtsov, de 55 anos, foi assassinado a tiros em 27 de fevereiro, numa ponte próxima ao Kremlin, quando caminhava ao lado da namorada, a modelo ucraniana Anna Duritskaya, de 23 anos. Única testemunha do crime, ela teve permissão para deixar a Rússia após ter prestado intenso depoimento, tendo sido detida contra a vontade pela polícia russa, conforme alegou. Na terça-feira, Nemtsov foi sepultado num cemitério de Moscou.

Investigações continuam

O diretor do FSB Bortnikov informou que os suspeitos se chamam Saur D. e Anzor G, sem dar mais detalhes. "As investigações continuam", acrescentou.

Segundo fontes ligadas aos investigadores, o automóvel supostamente usado no crime foi encontrado de forma relativamente rápida, e vestígios nele teriam levado aos suspeitos.

Além disso, os investigadores teriam conseguido colher imagens nítidas dos suspeitos a partir das filmagens feitas por câmeras de vigilância próximas à cena do crime. No entanto, eles advertem que ainda é cedo demais para conclusões concretas sobre o caso.

Amigos reagem com cautela

Amigos de Nemtsov reagiram com cautela. "Esperamos que as pessoas que realmente tenham algo a ver com o assassinato tenham sido presas e que esse não seja um erro, mas o resultado de um bom trabalho dos órgãos de segurança", comentou o político oposicionista Ilya Yashin, exigindo que, caso o atirador esteja mesmo entre os suspeitos presos, os mandantes do crime também sejam encontrados.

As autoridades russas suspeitam que o crime foi motivado politicamente e investigam em diversas direções, incluindo motivos de fundo nacionalista ou extremista. Observadores críticos suspeitam que os responsáveis sejam, antes, ligados ao Kremlin. Nemtsov era um dos mais importantes líderes da oposição russa e feroz adversário do presidente russo, Vladimir Putin.

MD/afp/dpa

Leia mais