1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Polícia russa descobre membros de seita em abrigo subterrâneo

Seguidores de autodeclarado profeta islâmico viviam sem ver a luz do sol e em péssimas condições de higiene desde 2001. Polícia investigará membros do grupo por abuso sexual das mais de 20 crianças que viviam no local.

Cerca de 70 membros de uma seita islâmica foram descobertos em um abrigo subterrâneo na Rússia nesta quarta-feira (08/08). O grupo, que incluía mais de 20 crianças, vivia há cerca de uma década sem aquecimento ou luz solar nos arredores da cidade de maioria muçulmana Cazã.

Algumas das crianças, com idade entre 18 meses e 17 anos, apresentavam sinais de anemia ou tuberculose, informaram as autoridades. Muitos dos menores de idade nunca haviam ido ao médico, e uma jovem de 17 anos estava grávida.

Segundo assistentes sociais, o local não apresentava condições básicas de higiene. Além do aquecedor, o encanamento do bunker de oito andares e sem janelas não funcionava. "As crianças estavam sujas e vestiam trapos", informou a mídia russa nesta quinta-feira.

"O lugar foi construído como um labirinto. Há cômodos medindo seis metros quadrados", relatou o investigador policial Ranis Bakhitov. Inicialmente, nenhum dos membros foi preso.

A seita "fayzarahmanista" foi fundada pelo octagenário Fayzarahman Satarov. Na década de 1980, ele se autodeclarou profeta e transformou sua casa em um estado islâmico independente.

A polícia investiga agora o líder e seus seguidores sob suspeita de abuso sexual de menores. O abrigo, construído irregularmente, deverá ser demolido. As autoridade afirmaram que a seita será dissolvida caso siga adiante com suas atividades ilegais, como impedir seus membros de buscar assistência médica ou educação.

Depois de passarem por hospitais, as crianças retiradas do bunker deverão ser levadas a orfanatos. O comissário de menores do governo, Pavel Astashov, defende que os pais só recebam os filhos de volta após longa terapia. Os membros da seita ameçam evocar o fim do mundo, caso as autoridades não lhes devolvam as crianças.

Isolados do mundo

O autodeclarado profeta Satarov comprou o terreno com cerca de 700 metros quadrados nos anos 1990. Segundo relatos, a área – localizada 800 quilômetros a leste de Moscou – era cercada por muros e incluía uma mesquita, poços d'água e um posto de gasolina.

As mulheres tiveram seu filhos no local. As aulas eram dadas pelo próprio Satarov. Salvo raras exceções, os seguidores eram proibidos de entrar em contato com o mundo exterior.

Segundo a mídia russa, os fayzarahmanistas viviam isolados desde 2001. A razão seria supostamente profana: a comunidade estava altamente endividada.

As autoridades chegaram ao terreno ao investigarem o assassinato de um clérigo muçulmano no local. Quando um comando especial invadiu a área, os moradores ameaçaram abrir tanques de gases. Armas e drogas não foram encontradas.

O caso lembra um incidente de 2007 na cidade russa de Pensa, em que 30 membros de uma seita se abrigaram em um sistema de túneis. Segundo especialistas, o boom de seitas se explica pelo vazio ideológico após o colapso da União Soviética, em 1991.

LPF/dpa/rtr/afp
Revisão: Francis França

Leia mais