1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Polícia libera detidos suspeitos de terrorismo em Hamburgo

Depois de batidas vãs, com participação de 1000 policiais, autoridades detiveram três chechenos suspeitos de planejar ataque terrorista. Jovens foram mantidos sob custódia para averiguação e liberados na manhã seguinte.

default

Batida no trânsito

A polícia de Hamburgo deteve três chechenos suspeitos de haver planejado um ataque terrorista à cidade portuária ao norte da Alemanha. Os jovens possuem entre 21 e 25 anos e foram mantidos sob custódia para averiguações, porém liberados na manhã seguinte após interrogatório.

Apenas um deles fora detido, os outros dois entregaram-se espontaneamente, informou o chefe da polícia de Hamburgo, Reinhard Chedor.

Segundo a polícia, as suspeitas não puderam se confirmar e o evento teve de ser declarado alarme falso, já que os três indivíduos conferem com as imagens tomadas por câmeras de vigilância e com as descrições feitas por uma testemunha, cujo depoimento dera início ao processo.

Testemunha captou conversa

Tudo havia começado na quarta-feira (24/08) à noite, quando três homens jovens conversavam em árabe num ponto de ônibus em Hamburgo. Uma testemunha ouviu parte da conversa e captou a frase: "Amanhã estaremos perante Alá na condição de heróis". Os três, dos quais um portava uma mochila, subiram em seguida num ônibus, onde foram filmados por uma câmera de vídeo.

Depois que a testemunha fez uma denúncia com base em sua observação, a polícia primeiro investigou sem alarde, tentando identificar os homens nos arquivos policiais. Não tendo conseguido, as autoridades resolveram realizar uma batida no trânsito em grande estilo, na quinta-feira à noite: 1000 policiais envolvidos, alguns dos quais com armas pesadas, em 11 pontos de controle na cidade.

Kripo Hamburg sucht drei Terrorverdächtige

Imagens dos supeitos tomadas por câmera de vídeo em ônibus

Ao fim da maratona, que terminou sem resultados concretos, o secretário do Interior de Hamburgo, Udo Nagel, tranqüilizou a população: "Os hamburgueses podem se movimentar sem medo e utilizar o metrô ou o ônibus sem receio para ir ao trabalho na sexta-feira".

Ao mesmo tempo, a polícia publicou as imagens – bastante nítidas – dos supeitos, pedindo ajuda à população na identificação. Ainda no decorrer da manhã, os policiais coletaram mais de 25 dicas, que estão sendo todas investigadas.

Pelo sim, pelo não

O diretor da polícia de Hamburgo, Werner Jantosch, considera a testemunha – um homem que provém ele próprio de um país de língua árabe – digno de confiança. Ainda assim, admite, é possível que ele tenha entendido errado ou interpretado o contexto erroneamente.

Udo Nagel, por sua vez, também ressalta que ainda até algum tempo atrás não teria havido uma batida dessas proporções na cidade com base numa denúncia como essa. "Mas depois dos atentados em Londres, as coisas mudaram", acrescentou o secretário do Interior.

Hamburgo é, geralmente, o primeiro nome de cidade que ocorre no contexto de suspeitas de terrorismo islâmico na Alemanha. Alguns dos autores dos atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova York e Washington tinham vivido durante algum tempo nessa cidade portuária alemã.

Nos anos seguintes, houve várias ações policiais motivadas por suspeita de conspiração. Em fins de 2003, princípios de 2004, por exemplo, a rua de acesso ao Hospital das Forças Armadas alemãs ficou interditada durante duas semanas, só sendo permitida a passagem de funcionários, pacientes e visitantes após rígidos controles de identidade. Na época, as investigações acerca de um suposto atentado a bomba que estaria sendo planejado contra o hospital não levaram a nada.

Leia mais