Polícia indicia Lochte por falsa comunicação de crime | Rio 2016 | DW | 25.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Rio 2016

Polícia indicia Lochte por falsa comunicação de crime

Investigadores concluem inquérito sobre falsa notificação de roubo no Rio de Janeiro e pedem que acusação sobre nadador americano seja enviada à Comissão de Ética do Comitê Olímpico Internacional.

A polícia do Rio de Janeiro indiciou nesta quinta-feira (25/08) o nadador americano Ryan Lochte por falsa comunicação de roubo e anunciou a conclusão das investigações sobre o caso.

O delegado responsável pela investigação sugeriu que a Justiça faça a expedição de uma carta rogatória para que o nadador, que está nos Estados Unidos, seja informado do processo. Além disso, foi recomendado que uma cópia dos autos seja enviada à Comissão de Ética do Comitê Olímpico Internacional (COI).

O inquérito foi encaminhado ao Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos no Rio de Janeiro.

A investigação começou após a Lochte ter dito que ele e outros três nadadores americanos foram roubados ao sair de uma festa no Rio de Janeiro. Porém o grupo caiu em contradições ao contar a história, e a polícia começou a desconfiar dos esportistas. Os investigadores também estranharam que não tivessem sido roubados seus celulares, relógios ou credenciais da Vila Olímpica .

Após localizar imagens de câmeras de segurança de um posto, a polícia descobriu que na verdade os nadadores não haviam sido assaltados, mas sim depredado o local, sendo depois impedidos por um segurança de deixar o posto enquanto não pagassem pelo prejuízo.

A confusão pela falsa notificação de roubo no Rio de Janeiro acarretou para Lochte, que possui 12 medalhas olímpicas, a a perda de seus principais patrocinadores, no início desta semana.

CN/lusa/abr/ap

Leia mais