1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Polícia indiana prende acusados de estupro coletivo de turista suíça

Turista foi atacada por sete ou oito homens durante viagem de bicicleta pelo país com o marido, obrigado a assistir à violência. Caso volta a levantar debates sobre penas mais rígidas para crimes sexuais na Índia.

Pelo menos cinco acusados de terem estuprado uma turista suíça na Índia já foram identificados pela vítima e encontram-se presos, segundo informou a polícia neste domingo (17/03). O crime aconteceu na última sexta-feira no estado de Madhya Pradesh, região central do país. A mulher de aproximadamente 40 anos fazia uma parada, com o marido, durante uma viagem de bicicleta quando foi abordada e violentada por seis ou sete homens. Eles ainda amarraram o marido dela e o obrigaram a assistir ao estupro coletivo.

De acordo com as autoridades da Índia, cerca de 20 suspeitos de ligação com o crime foram interrogados. Os criminosos estavam armados com pedaços de madeira e, depois de violentarem a mulher, roubaram um celular e 10 mil rúpias (142 euros) do casal. Os turistas contaram que estavam a caminho da cidade de Agra, onde se encontra o Taj Majal. Na noite do estupro eles pretendiam dormir em uma barraca, montada num vilarejo em uma área rural de Madhya Pradesh.

Suíça exige justiça

Após o estupro, a mulher foi levada para um hospital na cidade de Gwalior. Ela estava consciente e pôde relatar detalhes do crime aos policiais. Não foram divulgadas informações precisas sobre seu estado de saúde. Ela recebeu alta no sábado e já se encontra, juntamente com o marido, em Nova Déli, de onde voltam para a Suíça.

O Ministério suíço do Exterior divulgou uma nota ressaltando que está em contato permanente com as autoridades indianas e espera que os culpados sejam rapidamente encontrados e julgados. "Estamos profundamente chocados com esse trágico episódio", afirmou o Ministério.

Indien Vergewaltigung Proteste

Indianos realizaram protestos após estupro e morte de uma jovem de 23 anos em Nova Délhi

Leis mais duras

O caso com a suíça ocorre poucas semanas após um estupro coletivo no país que levou à morte de uma estudante indiana de 23 anos, causando indignação em várias partes do mundo. Em dezembro passado, seis homens violentaram a jovem em um ônibus em Nova Délhi durante quase uma hora, na frente do namorado dela. Depois eles a espancaram com uma barra de ferro e a atiraram para fora do ônibus em movimento.

O caso desencadeou uma série de protestos na Índia e debates sobre o aumento dos episódios de violência contra as mulheres no país. Uma nova lei mais rigorosa, prevendo no mínimo 20 anos de prisão em casos de estupro, está sendo debatida. Caso a vítima venha a falecer, ou entre em coma em consequência da violência, a punição deverá ser a pena de morte.

MSB/afp/ap/rtr
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais