1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Polícia do Texas mata atiradores em exposição de caricaturas de Maomé

Dois homens disparam contra policiais em frente a evento em Dallas, nos EUA, promovido por grupo anti-islâmico. Autoridades ainda não identificaram suspeitos nem confirmaram relação do tiroteio com a mostra.

A polícia do estado americano do Texas matou neste domingo (03/05) dois homens que haviam disparado tiros em frente a uma mostra e competição de caricaturas do profeta Maomé. O evento, em Dallas, foi organizada por um grupo anti-islâmico e contou com a presença do controverso político holandês de extrema direita Geert Wilders.

As autoridades estão investigando a identidade dos atiradores e, de acordo com a polícia, ainda não está claro se o incidente da noite deste domingo teve relação com a exposição. Os dois homens atiraram contra um guarda, que foi atingido no tornozelo, levado a um hospital e liberado.

Como precaução, um esquadrão antibomba foi acionado para inspecionar o carro dos dois suspeitos. As imediações do Culwell Center, que abrigava a exposição, também foram evacuadas, disse o porta-voz da polícia Joe Harn. Cerca de 200 pessoas estavam no local.

Mohammed-Karikaturen/ Texas/Wilders

Wilders é conhecido por sua campanha anti-islã

Apesar de a autoria do ataque no subúrbio de Dallas ainda não ter sido reivindicada, ele lembra o atentado ao jornal satírico parisiense Charlie Hebdo, que publicou caricaturas de Maomé. O incidente na capital em francesa, em janeiro, deixou 12 mortos.

A "Exposição artística e competição Maomé", em Dallas, foi realizada pela Iniciativa Americana de Defesa à Liberdade (AFDI, na sigla em inglês), criticada por patrocinar campanhas anti-islâmicas em meios de transporte dos EUA. Segundo os organizadores, o evento tinha como objetivo promover a liberdade de expressão. Foi oferecido um prêmio de 10 mil dólares para a melhor caricatura ou obra de arte retratando o profeta – o que é considerado uma ofensa por seguidores do islã.

Conhecido por sua campanha anti-islã, o controverso Wilders – que figura em todas as listas da Al Qaeda –, discursou no evento. "Maomé lutou e aterrorizou as pessoas com espadas. Hoje lutamos contra Maomé e seus seguidores com uma caneta. A caneta e os desenhos vão provar serem mais poderosos que a espada", declarou. Após o tiroteio, o político se disse chocado.

Os organizadores da mostra afirmaram que haviam reforçado o esquema de segurança do evento devido ao risco de ataque.

LPF/rtr/ap/afp

Leia mais