Polícia diz ter frustrado atentados em Melbourne | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 23.12.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Oceania

Polícia diz ter frustrado atentados em Melbourne

Grupo que teria se inspirado no "Estado Islâmico" e planejava ataques durante o Natal é detido, evitando "um dos planos terroristas mais substanciais dos últimos anos".

Após a operação, que envolveu 400 membros das forças de segurança, polícia diz ter conseguido neutralizar a ameaça

Após a operação, que envolveu 400 membros das forças de segurança, polícia diz ter conseguido neutralizar a ameaça

A polícia da Austrália afirmou nesta sexta-feira (23/12) que conseguiu impedir um série de ataques terroristas planejados para atingir diversos locais em Melbourne, provavelmente no dia de Natal.

Seis homens e uma mulher, todos entre os 20 e os 30 anos, foram detidos na noite desta quinta-feira em cinco residências na área metropolitana da cidade, onde foram encontrados armas e explosivos.

O chefe de polícia do estado de Vitória, Graham Ashton, afirmou à imprensa que os suspeitos planejavam atentados a bomba na estação de trens Flinders Street e na catedral de São Paulo, numa ação inspirada na organização extremista "Estado Islâmico".

A polícia realizou batidas durante a madrugada em diversos locais da segunda maior cidade da Austrália. "Nas duas últimas semanas, vínhamos realizando uma investigação criminal sobre a formação do que acreditamos ter sido uma conspiração terrorista", disse Ashton.

Dos suspeitos, três homens receberam acusações formais de terrorismo e serão levados a tribunal. A mulher e os outros dois homens foram liberados. Um membro do grupo poderá ainda ser acusado.

"Achamos que eles se radicalizaram sozinhos, inspirados no grupo extremista 'Estado Islâmico'", disse o chefe de polícia. Um dos suspeitos é um cidadão australiano nascido no Egito, e os demais são australianos de origem libanesa.

Após a operação, que envolveu 400 membros das forças de segurança, a polícia afirmou que conseguiu neutralizar a ameaça. "Este é um dos planos terroristas mais substanciais que foram desbaratados nos últimos anos", afirmou o primeiro-ministro australiano, Malcom Turnbull.

RC/rtr/efe/lusa

 

Leia mais