Polícia detém na Suíça suspeito de ataques em Colônia | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 28.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Polícia detém na Suíça suspeito de ataques em Colônia

Marroquino de 19 anos é preso após furto de alimentos e cigarros em loja. Promotoria acusa suspeito de roubo e abuso sexual em ataques a mulheres na noite de réveillon em Colônia.

Suspeitos aproveitaram réveillon para atacar mulheres nas imediações da estação central de Colônia

Suspeitos aproveitaram réveillon para atacar mulheres nas imediações da estação central de Colônia

A polícia prendeu na Suíça um suspeito de participar dos ataques a mulheres na noite de réveillon em Colônia, confirmou nesta quinta-feira (28/04) a Promotoria Pública de Colônia. O marroquino de 19 anos é acusado de abuso sexual e roubo.

Segundo a polícia, o jovem foi identificado depois ser detido junto com outro homem pelo roubo de alimentos e cigarros em uma loja em Constança, na Alemanha, na quarta-feira. Um detetive que estava no local percebeu o roubo e seguiu a dupla até a cidade vizinha de Kreuzlingen, na Suíça. O detetive, então, alertou a polícia.

Assistir ao vídeo 02:33
Ao vivo agora
02:33 min

Indignação entre migrantes norte-africanos em Colônia

Ao verificar os documentos dos suspeitos, as autoridades descobriram que havia um mandado internacional de prisão contra o marroquino.

Segundo a promotoria, o jovem chegou a ser preso no dia 3 de janeiro , devido a um furto cometido no mesmo dia. Ele ficou uma semana detido.

Ao sair da detenção, o marroquino desapareceu. Ele foi reconhecido por uma das vítimas dos ataques em Colônia e, desde então, era procurado da polícia

Uma série de assaltos e ataques sexuais a mulheres foi registrada nas imediações da estação central de trens de Colônia durante a noite de réveillon. Segundo a polícia, homens se dividiram em pequenos grupos para realizar os ataques. Mais de 1,1 mil ocorrências referentes ao caso foram registradas.

De acordo com a promotoria, 152 pessoas estão sendo investigados pela participação nos ataques. Atualmente, 11 suspeitos estão presos.

CN/afp/dpa

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados