Polícia deflagra operação antiterrorismo no oeste da Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 01.02.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Polícia deflagra operação antiterrorismo no oeste da Alemanha

Tunisiano suspeito de recrutar simpatizantes do EI, planejar ataque na Alemanha e participar de atentado em Túnis é preso no estado de Hessen. Operação tem como alvo 16 membros de célula terrorista.

Mais de mil policiais foram envolvidos na operação antiterrorismo em Hessen

Mais de mil policiais foram envolvidos na operação antiterrorismo

Um tunisiano suspeito de recrutar jihadistas para o grupo "Estado Islâmico" (EI) foi preso numa operação antiterrorismo deflagrada nesta quarta-feira (01/02) no oeste da Alemanha. O homem de 36 anos também estaria planejando um ataque terrorista no país.

As buscas conduzidas pela Promotoria de Frankfurt e pelo Escritório de Investigação Criminal (LKA) de Hessen estão focadas em 16 indivíduos com idades entre 16 e 46 anos que fariam parte de uma célula terrorista. 

O tunisiano detido em Frankfurt era o principal alvo da operação. Ele é acusado de envolvimento no planejamento e execução um ataque terrorista reivindicado pelo EI contra o Museu Nacional do Bardo, em Túnis, que deixou cerca de 20 mortos em março de 2015. O suspeito, que esteve na Alemanha entre 2003 e 2013, também teria participado de um atentado na cidade de Ben Guerdan, na Tunísia, que deixou mais de 50 vítimas em março passado.  

Os investigadores acreditam que ele fazia recrutamento para o EI desde agosto de 2015, quando entrou novamente na Alemanha como requerente de asilo. Ele teria criado uma rede de apoiadores com o objetivo de realizar um atentado na Alemanha. Segundo promotores, o plano estava em estágio inicial e um alvo ainda não tinha sido escolhido.

"Não se tratou de prevenir um ataque iminente, pelo contrário, as forças de segurança em Hessen intervieram para proteger os cidadãos de ameaças", afirmou o secretário do Interior do estado de Hessen, Peter Beuth.

Beuth acrescentou que a operação conseguiu desarticular uma ampla rede salafista. O salafismo é uma corrente ultraconservadora do islamismo sunita. "Com essas medidas, enviamos uma mensagem clara aos radicais islâmicos em Hessen", afirmou o secretário.

Buscas

Mais de mil agentes fizeram buscas em 54 apartamentos, estabelecimentos comerciais e mesquitas de Frankfurt e outras localidade do estado de Hessen, como Darmstadt, Limburg e Wiesbaden.

O porta-voz do Escritório de Investigação Criminal (LKA) do estado de Hessen, Max Weiss, disse que as investigações começaram há quatro meses e que mais de 150 investigadores estão trabalhando no caso em tempo integral. 

Na terça-feira, a polícia alemã prendeu em Berlim três suspeitos   de ligação com jihadistas do EI que planejavam viajar ao Oriente Médio para serem treinados. 

Em dezembro do ano passado, o tunisiano Anis Amri foi morto pela polícia italiana depois de matar 12 pessoas num ataque com um caminhão contra frequentadores de uma feira natalina na capital alemã.

KG/ap/rtr/efe

Leia mais