1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Polícia alemã prende suspeitos de jihadismo

Operação antiterror detém dois homens em Berlim suspeitos de preparar "atos de violência" e que estariam "em contato com círculos islamitas". Jornal berlinense afirma que cidade de Dortmund seria alvo de suposto ataque.

A polícia de Berlim prendeu, nesta quinta-feira (26/11), dois suspeitos extremistas durante uma série de operações policiais visando possíveis radicais islâmicos na capital alemã. A polícia comunicou também que estava examinando um "objeto suspeito" descoberto durante a batida no bairro de Britz, o que levou à evacuação de ao menos 16 edifícios próximos como medida de "precaução".

Os dois homens foram detidos numa associação islâmica e são suspeitos de terem pretendido cometer um "ato de violência grave que representava um perigo para o Estado", anunciou a polícia. Os suspeitos, de 28 e 46 anos, estavam em "contato com círculos islamitas", mas não foram descobertas armas ou explosivos durante a operação, comunicou a porta-voz da polícia berlinense, Patricia Brämer.

O "objeto suspeito", não especificado pelas autoridades, foi encontrado no veículo dos homens. Autoridades não divulgaram se os detidos moravam em Berlim ou eram do exterior. Única informação liberada foi a de que os homens não haviam nascido na capital alemã.

Segundo o jornal local Tagesspiegel, o alvo não seria Berlim e a cidade de Dortmund, na Renânia do Norte-Vestfália, teria sido o local de um provável atentado. Autoridades do estado alemão confirmaram uma "troca de informações sobre um possível ataque", sem entrar em mais detalhes.

Após a série de atentados coordenados em Paris, que mataram 130 pessoas, o governo federal advertiu que a Alemanha também é um provável alvo para terroristas e que o nível de ameaça está maior do que o habitual. No início desta semana, o senado da cidade de Berlim aprovou um projeto de lei quem permite aumentar a presença de forças de segurança na capital.

PV/dpa/afp/lusa

Leia mais