Polícia alemã investiga venda de bebê no Ebay | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 13.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Polícia alemã investiga venda de bebê no Ebay

Policiais da cidade alemã de Duisburg abrem investigação por suspeita de tráfico de seres humanos contra casal de refugiados que colocou a filha de 40 dias à venda no site de leilões, por 5 mil euros.

Baby im Internet zum Verkauf angeboten (picture alliance/dpa/eBay Kleinanzeigen)

Anúncio permaneceu por volta de meia hora online

A polícia da cidade de Duisburg, no oeste da Alemanha, afirmou nesta quinta-feira (13/10) que abriu uma investigação contra um casal de refugiados depois de a filha de 40 dias ter sido colocada à venda na plataforma online de leilões Ebay.

O anúncio foi postado na última terça-feira por um vendedor utilizando o pseudônimo de Kühlschank (refrigerador, em alemão) e permaneceu cerca de meia hora online, até que funcionários da plataforma percebessem a venda e avisassem à polícia.

Na foto do anúncio, a bebê olhava curiosa para a câmera. Sobre a imagem, lia-se o preço: 5 mil euros. A polícia levou o caso a sério e colocou a menina de 40 dias sob os cuidados do Juizado de Menores. As autoridades abriram investigação contra os pais da criança por suspeita de tráfico de seres humanos.

Após a denúncia dos funcionários do Ebay, os policiais puderam identificar a conexão de internet, que segundo as autoridades pertenceria a uma família de refugiados. Na noite de quarta-feira efetuou-se então a busca no apartamento de onde foi feito o anúncio.

A menina, chamada Maria, passa bem. A polícia interrogou os pais do bebê, um homem de 28 anos e uma mulher de 20, e os liberou. Não foram revelados detalhes do interrogatório.

Os policiais investigam agora a seriedade do anúncio de venda e quem o postou. A princípio, a suspeita de tráfico humano se dirige contra os proprietários da conexão de internet através da qual a venda foi colocada online. E esses seriam os pais do bebê.

CA/dpa/lusa/afp

Leia mais