1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

PMDB proíbe filiados de assumir cargos no governo

Medida tomada durante convenção nacional do partido será válida por 30 dias. Durante o período, líderes da principal legenda da base aliada vão decidir se rompem ou não com o governo de Dilma Rousseff.

default

Convenção do Partido do Movimento Democrático Brasileiro em Brasília

O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) decidiu neste sábado (12/03) em convenção nacional do partido que nenhum filiado seu deve assumir cargos no governo federal nos próximos 30 dias. O Diretório Nacional da principal legenda da base aliada vai definir durante esse período se mantém o apoio ou rompe com o governo da presidente Dilma Rousseff.

Numa convenção agitada, os líderes do PMDB rejeitaram uma proposta de uma ala do partido, que inclui o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de renunciar imediatamente ao governo.

Sob gritos da militância, integrantes da cúpula, que já deixavam o evento, foram pressionados a colocar a medida em votação. O alvo é a negociação do próximo ministro da Aviação Civil. O cargo está vago desde a saída de Eliseu Padilha (PMDB-RS), em dezembro do ano passado. A expectativa era de que o deputado federal Mauro Lopes (PMDB-MG) assumisse a Secretaria de Aviação Civil nos próximos dias. A legenda ocupa atualmente seis ministérios.

Em discurso, o vice-presidente da República, Michel Temer, disse que "não é hora de dividir os brasileiros, de acirrar ânimos e levantar muros". "O PMDB sempre teve diversidades internas, mas [que] convergem em todas as ocasiões em que é preciso cuidar do país", afirmou.

A senadora Marta Suplicy, que deixou o PT em 2015 para se aliar ao PMDB, defendeu que o partido rompa com a gestão de Dilma o quanto antes. "O governo é corrupto. A presidente está isolada e não pode fazer nada. Deveríamos ir agora."

Durante a convenção, Temer foi reeleito à presidência do PMDB, com 537 votos a favor, 11 contrários, seis brancos e cinco abstenções.

KG/afp/ABr

Leia mais