1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Música

Planningtorock quebra as barreiras de gênero no novo disco

Em "All Love’s Legal", inglesa apresenta simplicidade e leveza sonoras que escondem ideias complexas e uma forte mensagem política sobre questões de gênero.

Pode-se amar ou odiar o trabalho de Planningtorock, projeto da artista multimídia inglesa Jam Roston, mas não se pode dizer que ele seja entediante.

Em 2011, o prestigioso selo americano DFA – de James Murphy, do LCD Soundsystem – lançou W, o segundo disco da artista baseada em Berlim, transformando Planningtorock na grande queridinha da cena musical berlinense.

A música era marcada por um clima sombrio, com orquestrações eletrônicas e ruídos distorcidos e estranhos, acompanhados por uma mudança física no rosto da artista.

"A minha imagem para aquele disco veio da manipulação vocal que eu construi no estúdio. Queria não só brincar com a minha imagem, mas também com a questão do gênero", declarou a artista à DW Brasil em 2011.

Foi exatamente desse ponto que Roston partiu para construir seu mais recente trabalho. No novo álbum, ela refinou seus conceitos para poder alcançar o que realmente queria com suas ideias.

All Love's Legal pode, à primeira vista, parecer um álbum fácil, mas, a cada nova audição, a música e as ideias da artista se revelam, mesmo que de uma maneira simples, e mostram sua complexidade, sem vergonha ou máscaras.

"Foi uma decisão consciente que a música desse novo disco fosse feliz, divertida e convidativa, para eu poder adicionar letras com uma forte mensagem política. Minha ideia era tornar fácil e acessível o ato de pensar sobre algo difícil e complexo", conta a artista.

Planningtorock Janine Rostron Cover All Love's legal

Novo álbum tenta alinhar ideias complexas e música acessível

Música útil

Depois que voltou da turnê de W, Roston teve uma espécie de crise criativa. Ela percebeu que queria criar música que a fizesse se sentir livre e inspirada. "Durante o verão de 2012, eu me propus o desafio de criar uma música sobre o patriarcado. Assim nasceu Patriarchy Over & Out. Depois que terminei a faixa, se tornou claro para mim como o novo disco deveria ser", diz a cantora.

Com o fim da crise criativa, Planningtorock percebeu que seu propósito em fazer arte era "criar música que fosse útil". Assim, ela começou o processo de concepção, composição e gravação de All Love's Legal, que durou cerca de dez meses.

Em seu disco anterior, a artista mapeava suas intenções políticas através de sombrias instrumentações eletrônicas e da distorção de suas feições, usando próteses e máscaras, o que algumas vezes tinha um resultado dúbio. Já em All Love's Legal, a temática e as letras funcionam em perfeita sintonia com as batidas marcadas e orgânicas, e com as belas orquestrações eletrônicas.

As letras, que muitas vezes podem soar simplistas, fazem sentido no espectro sonoro criado por Roston. O resultado é agradável na primeira audição, mas, com o tempo, ganha uma densa complexidade, sem perder a leveza.

Em All Love's Legal, as letras, a música e o conceito por trás de ambas parecem ter a mesma importância, elevando a sonoridade de Planningtorock para um agradável e instigante processo.

Planningtorock Musik Sängerin Janine Rostron

"All Love's Legal" mostra uma artista sem máscaras

Mas a escolha por esse caminho, a princípio simples, não tira a força de um álbum ambicioso, onde simplicidade, mensagem política e beleza não deixam de ser intrigantes. O tema principal de All Love's Legal é a questão do gênero e o disco prova que se despir de gêneros funciona melhor para a artista do que colocar uma máscara.

"Música é uma linguagem tão sofisticada e versátil, capaz de comunicar tantas coisas. Seria ótimo se as pessoas usassem a música para expressar suas ideias políticas, mas a música deve ser diversificada e não apenas uma coisa ou a outra. Usamos a música em diferentes momentos e situações", comenta Roston.

Abolir o próprio gênero

O disco marcou também outra grande mudança para a artista. Em sua técnica de diminuir o tom e processar a voz, ela buscou uma sonoridade que abolisse o entendimento de gênero.

Cansada de uma sociedade onde o gênero tem um papel profissional tão importante, Roston compôs, gravou, tocou e produziu todo All Love's Legal e, como parte do processo e do conceito do projeto, aboliu seu próprio gênero.

"Mudar meu nome de Janine para Jam foi o desejo de ter um nome sem gênero e isso se entrelaça com outras questões tratadas no disco. All Love's Legal foi motivado pela necessidade de aproximar minha vida real e minha música", afirma a artista.

Perturbações e interferências não são palavras normalmente associadas à música pop, mas Planningtorock busca quebrar as normas. Em certo momento do álbum, ela canta que "gênero é apenas uma mentira", não deixando dúvidas sobre sua opinião em relação à igualdade.

O mais impactante é que o direto e de certa maneira simples discurso do disco não esconde seu caráter altamente político, mas nunca é didático ou esquemático.

Planningtorock Janine Rostron Pressefoto

Planningtorock mudou seu nome de Janine para Jam, buscando se livrar de definições de gênero

Ela consegue atacar fortemente o patriarcado sem ser pedante, estimulando a reflexão através de sua eletrônica mais pop e dançante e, ao mesmo tempo, criando um espaço para discussões. Seu ataques são claros e pontuais, como quando ela manda o patriarcado "sair do seu caminho".

Parece que Planningtorock achou algo que faltava na sonoridade e no conceito de seus discos anteriores: o senso de humor. Sua mensagem, em som e letras, está mais acessível e ao mesmo tempo mais efetiva.

A nova atitude da artista também pode ser vista, ouvida e sentida nas apresentações ao vivo. "O novo show é divertido e aberto. Estou tentando falar mais com o público, compartilhar ideias e risadas. Acabei de terminar a primeira turnê do disco e aprendi muito com esses shows. Devo preparar novos vídeos para uma nova turnê mais para o final do ano. Adoraria voltar ao Brasil, meus shows por lá foram muito divertidos", conta.

No palco e fora dele, o visual continua sendo uma parte importante do trabalho de Planningtorock. A própria artista é responsável pela direção dos videoclipes de All Love's Legal. Entre turnês, produção de novos artistas e o lançamento de um novo EP nos próximos meses, ela quer ainda ampliar a relação entre música e imagem. "Estou escrevendo a trilha sonora para a nova animação de Marjane Satrapi, que dirigiu Persepolis". Fãs e curiosos mal podem esperar.

Leia mais