Pitadas: A disputada Torta Sacher | Colunas semanais da DW Brasil | DW | 16.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Colunas

Pitadas: A disputada Torta Sacher

Doce símbolo da culinária austríaca foi inventado no século 19 e alvo de disputa entre dois locais vienenses. Chocolate amargo e damasco são marca registrada do quitute, do qual são vendidos milhares de pedaços por ano.

Torta Sacher do Café Sacher, em Viena

Torta Sacher do Café Sacher, em Viena

Massa leve, recheio de damasco e cobertura de chocolate amargo, com uma porção de chantilly ao lado. É impossível ir a Viena e não comer um pedaço da famosa Torta Sacher – ou Sachertorte. Ao lado do Apfelstrudel e do Wiener Schnitzel, o doce é um dos símbolos da culinária austríaca. Tanto, que sua receita original foi alvo de disputa.

Em 1832, o príncipe Metternich teria encarregado seus cozinheiros de criar uma sobremesa diferente. O chef estava doente naquele dia, e o aprendiz Franz Sacher, de 16 anos, teve que cumprir a tarefa, criando a torta que conquistaria a Áustria e o mundo.

Anos depois, o filho de Franz, Eduard Sacher, se tornou aprendiz da confeitaria Demel, que existe até hoje em Viena, e finalizou a receita da torta que levou o sobrenome da família. Primeiro, o doce teria sido servido na Demel e depois, no Hotel Sacher, aberto por Eduard em 1876.

Entre 1938 e 1963, a Demel e o Hotel Sacher brigaram na Justiça pela marca "Torta Sacher original", até chegarem a um acordo extrajudicial. Enquanto o hotel conquistou o direito de utilizar o termo "Torta Sacher original", a Demel adotou um selo de chocolate triangular com a inscrição "Torta Eduard Sacher".

A diferença entre as duas versões do doce está nas camadas de geleia de damasco. Enquanto a da Demel tem apenas uma, logo abaixo da cobertura de chocolate, a do Café Sacher, anexo ao hotel homônimo, tem mais uma camada no meio da massa.

Confeitaria Demel teria sido primeira a servir a Torta Sacher

Confeitaria Demel teria sido primeira a servir a Torta Sacher

Numa passagem curta por Viena, experimentei a "Torta Sacher original" no Café Sacher. O ambiente em si já vale a visita, com seus candelabros e estofados vermelhos com o logotipo do local. Para quem gosta de bolos mais molhadinhos, o chantilly levemente doce servido com o quitute resolve o problema. O bolo é pouco doce, apesar da grande quantidade de chocolate, e cairia ainda melhor num dia de inverno, acompanhado de um café ou chá quentinho.

O Café Sacher mantém sua receita da torta em segredo e diz serem necessárias 34 etapas para preparar o doce, brilhante e firme por fora e macio por dentro. O local diz vender cerca de 360 mil pedaços da torta por ano, com o característico selo de chocolate do hotel sobre cada um deles – não apenas em Viena, mas também mundo afora.

Segue a receita à moda do Café Sacher, com duas camadas de geleia*:

Ingredientes

140 g de manteiga

110 g de açúcar de confeiteiro

1/2 fava de baunilha (ou 1 colher de chá de essência de baunilha)

6 gemas

6 claras

130 g de chocolate amargo

110 g de açúcar

140 g de farinha de trigo

200 g de geleia de damasco

chantilly para acompanhar

Para a cobertura:

200 g de açúcar

125 ml de água

150 g de chocolate amargo

Modo de preparo

Numa tigela, misturar a manteiga em temperatura ambiente, o açúcar de confeiteiro e a baunilha. Acrescentar as gemas uma a uma e mexer bem. Derreter o chocolate no banho-maria e acrescentar à mistura. Bater as claras em neve com o açúcar. Acrescentar as claras em neve bem firmes à massa, peneirar a farinha por cima e misturar tudo com cuidado.

Para o fundo da torta, forrar uma forma de fundo falso com papel-manteiga. Untar as bordas com manteiga e polvilhar com farinha. Despejar a massa na forma, alisar com uma colher e levar ao forno pré-aquecido a 170 C por cerca de uma hora. Nos primeiros 15 minutos, deixar uma fresta do forno aberta, e depois fechar.

Colocar a torta ainda na forma sobre uma grade para esfriar bolo. Por fim, tirar o papel-manteiga e desenformar. Com uma faca afiada, cortar a torta no meio horizontalmente.

Aquecer levemente a geleia e passá-la nas duas metades da torta. Unir as duas metades novamente. Passar geleia ao redor da torta também e deixar secar um pouco.

Para a cobertura, aquecer o açúcar com a água por cerca de 6 minutos e deixar esfriar. Derreter o chocolate em banho-maria e misturar aos poucos com a solução de açúcar. Jogar a cobertura de uma só vez sobre a torta e alisá-la o mínimo possível com uma espátula. Deixar a cobertura endurecer e servir acompanhada de chantilly.

*receita adaptada do site ichkoche.at

Leia mais