1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Piora clima econômico na América Latina

Segundo levantamento da FGV, indicador de clima econômico da América Latina caiu 6,3% nos últimos quatro meses. Brasil ocupa décimo lugar no ranking.

Piorou o clima econômico da América Latina entre outubro passado e janeiro deste ano, segundo estudo divulgada nesta quinta-feira (12/02) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A queda na sondagem é resultado tanto de avaliações sobre o estado atual dos negócios quanto das expectativas em relação aos próximos meses.

Segundo o levantamento, a queda no Indicador de Clima Econômico da América Latina (ICE) foi de 6,3% nos últimos quatro meses – de 80 para 75 pontos. O Indicador da Situação Atual (ISA) caiu 9,4% no mesmo período, e o Indicador de Expectativas (IE) diminuiu 4,2%.

"Todos os indicadores se encontram na zona desfavorável do ciclo, e a piora generalizada sinaliza avanço na deterioração do clima econômico", avaliou a FGV.

O Índice de Clima Econômico (ICE) varia de zero a 140 e, de acordo com a metodologia da pesquisa, países com indicadores acima de 100 pontos estão na zona favorável e abaixo de 100, na zona desfavorável.

Pela quarta vez consecutiva, o Brasil ocupa o décimo lugar no ranking do ICE, que é liderado pelo Peru (131 pontos), seguido pelo Paraguai (127). Os dados mostram que os índices brasileiros do ISA e o IE em janeiro deste ano ficaram iguais aos de outubro de 2014 – 30 e 84 pontos, respectivamente.

Para a FGV, a manutenção dos índices reflete a expectativa da entrada em vigor de medidas anunciadas pelo governo federal.

"Pela Sondagem Econômica da América Latina Ifo/FGV, os especialistas parecem estar esperando que as medidas de ajuste macroeconômico prometidas entrem em operação. Além disso, perspectivas de alta da inflação, baixo crescimento e problemas no abastecimento de água e energia não ajudam na melhora das expectativas do país", conclui o estudo.

O clima econômico melhorou em Argentina, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai, sendo que apenas Paraguai e Peru ficaram na zona favorável, acima de 100. Bolívia, Colômbia, Equador e México registraram queda no ICE.

A Sondagem Econômica da América Latina é usada para monitorar a situação nos países e antecipar tendências, com base em análises feitas por especialistas nas economias dos países a cada três meses.

MSB/abr/lusa

Leia mais