1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

PF realiza buscas nas residências de Collor

Autoridades cumprem 53 mandados de busca e apreensão em sete estados, relacionados à Operação Lava Jato. Três carros de luxo são apreendidos na mansão onde Collor vivia quando era presidente.

A Polícia Federal (PF) cumpriu nesta terça-feira (14/07) um mandado de busca e apreensão no apartamento do senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello em Brasília. Além do malote confiscado no local, agentes federais também apreenderam uma Ferrari, um Lamborghini e um Porsche na Casa da Dinda, mansão da família Collor de Mello que foi usada como residência por Collor na época em que era presidente.

No total, a PF e o Ministério Público Federal cumprem 53 mandados de busca e apreensão como parte da Operação Politeia, relacionados a processos instaurados no Supremo Tribunal Federal (STF) a partir de provas obtidas na Operação Lava Jato. Além do Distrito Federal, os mandados têm lugar em Pernambuco, Bahia, Alagoas, Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo.

A polícia também esteve na casa de Collor em Maceió. O nome de Collor foi citado nos depoimentos do doleiro Alberto Youssef, apontado como um dos operadores da rede de corrupção que envolve a Petrobras, políticos e empreiteiras.

No perfil de Collor no Facebook, foi divulgada uma nota de repúdio à operação. "A medida invasiva e arbitrária é flagrantemente desnecessária, considerando que os fatos investigados datam de pelo menos mais de dois anos, a investigação já é conhecida desde o final do ano passado, e o ex-presidente jamais foi sequer chamado a prestar esclarecimentos." O texto diz ainda que o senador se colocou à disposição para ser ouvido pela Polícia Federal duas vezes e que o depoimento foi desmarcado.

Segundo a imprensa, o senador Ciro Nogueira também foi alvo das operações desta terça-feira. Em comunicado à imprensa, a polícia não confirmou os nomes que estão sendo investigados, mas disse que os mandados de busca e apreensão foram autorizados pelo STF, a mais alta autoridade judicial do Brasil e a única que pode ordenar que se investiguem políticos.

"As operações de busca estão acontecendo em residências, escritórios, sedes de empresas, escritórios de advocacia e instituições públicas", diz o comunicado da PF.

Desde março do ano passado, a Lava Jato levou à detenção de ex-executivos da Petrobras e de alguns dos empresários do ramo da construção civil mais poderosos do Brasil, entre eles os

presidentes das construtoras Odebrecht e Andrade Gutierrez

. No total, 34 parlamentares e um governado estão sendo interrogados.

MP/rtr/efe/abr

Leia mais