PETIÇÃO PARA ADOTAR ALEMÃO COMO IDIOMA OFICIAL GERA POLÊMICA NA ALEMANHA | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 13.11.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

PETIÇÃO PARA ADOTAR ALEMÃO COMO IDIOMA OFICIAL GERA POLÊMICA NA ALEMANHA

Alemão como idioma oficial na Alemanha, fábrica de Schindler transformada em museu, queda do Muro, igreja da Sagrada Família e deportação de ciganos para o Kosovo foram temas comentados por nossos leitores esta semana.

default

É um absurdo que no país de Goethe, o alemão não seja o idioma oficial. Em qualquer outro país, as pessoas são "obrigadas" a falar o idioma do país, por que na Alemanha sempre tem que existir alguém apara achar que isto excluirá os imigrantes? Pelo que parece, os alemães são "estrangeiros" em seu país.
Marcelo Loss

A língua é a identidade de um povo, entretanto não podemos usá-la como meio para segregar tampouco minar a constituição social e cultural dos indivíduos independentemente de sua origem. Ao propor que o alemão conste como único idioma oficial na Lei Fundamental, a VDS pouco contribui para um debate coerente acerca da integração dos imigrantes dentro da sociedade teutônica. O Bild segue na mesma contramão corroborando tal declaração explícita de xenofobia. A Associação do Idioma Alemão parece não acompanhar os ventos modernos, afinal em tempos de globalização, tornou-se inevitável conter a influência de uma língua sobre outra. Na verdade, esta troca, que, inclusive evidencia o quão uma nação é tolerante em relação à diversidade, só tende a enriquecer e ampliar o vocabulário. Aliás, deve-se ressaltar que as linguagens são dinâmicas, portanto não podem ser consideradas algo imutável. Sendo aprovado ou não pelo Parlamento, esse projeto já representa o abismo de intolerância ao qual a Alemanha sucumbiu. Além de violar os direitos humanos, proibir alguém de falar seu próprio idioma é um cerco à liberdade. Se chegou-se a isso, é só uma questão de tempo para que um cidadão alemão "puro" apresente uma petição exigido que imigrantes portem algum símbolo que diga que eles não são alemães.
Vlademir Monteiro

A Associação do Idioma Alemão (VDS) está corretíssima. A língua alemã é única e não deve perder sua identidade cultural. O som e a riqueza da língua muito me atrai. Aliás é a lingua-mutter do inglês.
Ricardo de la Peña

A que ponto ridículo chega a outrora orgulhosa Europa diante da avalanche migratória de pessoas que não querem se integrar! O que eles querem é implantar nos países "invadidos" a sua própria língua e cultura, e aproveitam as estruturas democráticas existentes para derrubar a democracia de dentro dela mesma e implantar o totalitarismo. Vejam o que o pensamento "politicamente correto" é capaz de produzir: um país que fala seu idioma há séculos não pode escrever na sua própria Constituição que este idioma deve ser adotado oficialmente, ensinado a todos e entendido por todos, independente da sua "raiz", origem étnica, cultural, religiosa etc.... É por isso que outros países - por exemplo, Inglaterra, França etc - já estão se transformando nas primeiras províncias do "Califado da Eurábia", a ser estabelecido, no máximo, em mais uma ou duas gerações. E não me venham dizer que sou preconceituoso. Acho que o idioma oficial da Alemanha deve ser, sim, o alemão; e o da Inglaterra, o inglês, o da Grécia, o grego e assim por diante. O que há de errado nisso? É o que eu chamo de "verdadeiro multiculturalismo", pois se cada país não preservar seu idioma e seus costumes e tradições, em breve o mundo estará totalmente "homogeneizado". Depois, quando o árabe for a língua oficial da Europa, e a conversão ao islã for obrigatória, vamos ver quem estava certo!! Assinado, um apreciador da literatura e língua alemãs (entre outras).
Rhu

FÁBRICA DE SCHINDLER EM CRACÓVIA É TRANSFORMADA EM MUSEU

Senhores, como sou da primeira geração pós-guerra de sobreviventes dos campos, fico feliz por essa iniciativa de divulgar de uma maneira histórica os acontecimentos trágicos ocorridos neste período negro da história contemporânea.
Alberto Sobel

Gostaria de conhecer a fábrica de Oskar Schindler em Cracóvia que se tornou museu. Com certeza, ver este local faz com que saibamos como realmente foi este fato. E não tendo a mesma sensação de como foi repassado no filme, isso é mais real, além de se ter a oportunidade de conhecer a cidade que por muitos e muitos anos será lembrada por várias gerações, para que não se repitam histórias como essa por muitos e muitos anos. Este museu é uma lição de moral para o mundo, não apenas para a Cracóvia, essa ideia foi com certeza excelente.
Anita Garibaldi de Almeida

9 DE NOVEMBRO DE 1989 – A QUEDA DO MURO

Senhores, sou apaixonado pelo povo alemão. "Fã de carteirinha", sempre colho notícias do país, quer políticas, culturais, curiosidades, urbanas, tecnológicas, gastronômicas e, infelizmente, as ruins e desagradáveis. Uma das excelentes notícias que tive na vida foi justamente a queda do Muro de Berlim. Parabéns ao povo alemão que superou obstáculos intransponíveis e difíceis durante todo o século passado. Exemplo para todos os povos, pela humildade, sabedoria, garra, superação. Tiro meu chapéu para essa nação e desejo muito sucesso, felicidade, alegria e modelo para toda humanidade. Parabéns. Parabéns pelo dia 09/11. Parabéns pela unificação. Que continuem assim. Felicidades.
Cláudio Nogueira Martins Brasil

PAPA CONSAGRA ALTAR DA BASÍLICA DA SAGRADA FAMÍLIA

Sim, eu já visitei a basílica da Sagrada Família em Barcelona. Não tem nada de especial. É mais uma prova de que a Igreja prefere gastar dinheiro construindo magníficos templos a doar esse dinheiro para saciar os pobres.
Fernando Sampaio

DEPORTAÇÃO DE CIGANOS PARA O KOSOVO

Pessoas que vivem à custa do dinheiro do Estado alemão são as verdadeiras violadoras dos direitos dos outros, pois vivem à custa dos impostos das outras pessoas que trabalham. A Alemanha pode tentar auxiliar as pessoas ou países, porém o Estado alemão não tem obrigação de sustentar outros países, alemães que não querem trabalhar ou imigrantes que não conseguem se adaptar ou serem autossuficientes. Um estado com economia sadia tem como obrigação dar seguro-saúde e aposentadoria apenas. Outros benefícios além desses dois seguros levarão o Estado à falência.
Cristiane Vallim

Leia mais