1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Pesquisas indicam vitória da oposição na Polônia

Em eleição parlamentar, partido Lei e Justiça (PiS) obtém 39,1% dos votos, segundo boca de urna. Dessa maneira, conservadores conquistam maioria absoluta no Parlamento. Beata Szydlo deve ser nova primeira-ministra.

Os conservadores católicos do partido Lei e Justiça (PiS) obteve neste domingo (25/10) a maioria absoluta nas eleições parlamentares na Polônia, de acordo com projeções divulgadas por três emissoras de televisão polonesas.

De acordo com o resultado das pesquisas de boca de urna, o PiS alcançou 39,1% dos votos, o que equivaleria a 242 dos 460 assentos no Parlamento. Assim, o partido teria a maioria absoluta na Casa.

A candidata do partido conservador e nacionalista a chefe do governo é a antropóloga Beata Szydlo, de 52 anos, que defende a importância dos valores católicos e patrióticos, propõe uma redistribuição da riqueza para beneficiar as classes trabalhadoras e é contrária a aceitar todas as diretrizes que chegam de Bruxelas.

"Essa vitória é mérito de todos vocês", afirmou Szydlo. O PiS é liderado pelo eurocético Jaroslaw Kaczynski que foi primeiro-ministro entre 2006 e 2007.

O segundo partido mais votado, segundo as projeções, é a Plataforma Cívica (PO), de centro-direita, da atual primeira-ministra Eva Kopacz, com 23,4% dos votos e, dessa maneira, 133 deputados. Logo após a divulgação das pesquisas, Kopacz que governou o país por oito anos admitiu a derrota.

"Não desperdiçamos os últimos oito anos. A Polônia é um país que registrou um crescimento econômico, uma redução na taxa de desemprego. Essa é a Polônia que deixamos aos vencedores das eleições", disse Kopacz aos membros do seu partido, na sede em Varsóvia.

Pela primeira vez, desde o colapso do comunismo no país, em 1989, os partidos de esquerda ficaram fora do parlamento.

CN/lusa/dpa/afp/rtr

Leia mais