″Performance Studies″ une prática de palco e teoria estética | Tudo o que você precisa saber para estudar na Alemanha | DW | 31.01.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Estudar na Alemanha

"Performance Studies" une prática de palco e teoria estética

Em Hamburgo, o 'master' Performance Studies oferece a jovens artistas formação em temas relativos à dança, performance e teatro contemporâneos.

default

Estudo reflete sobre as diversas conotações do termo 'performance'

Desde 2002, num prédio antigo de três andares na rua Feldbrunnen, próximo à sede principal da Universidade de Hamburgo, vem sendo oferecidas as aulas do master Performance Studies, uma cooperação entre os Institutos de Ciência do Movimento, de Pedagogia e de Germanística da universidade.

O estudo beseia-se na formação acadêmico-artística do aluno, fundindo teoria e prática, produção estética e reflexão no campo das artes cênicas. A estrutura dos dois anos de estudo é dividida em quatro módulos, nos quais são trabalhados temas como bases culturais e sociais da performance, história e estética das artes cênicas, experiência em composição coreográfica e gestão cultural.

Estudantes e professores estrangeiros

Nikolaus Müller-Schöll, pesquisador das obras de Heiner Müller, Bertolt Brecht e Walter Benjamin, é um dos professores responsáveis pelo master, ao lado da socióloga Gabriele Klein, uma das pioneiras da ciência da dança na Alemanha e coordenadora do curso.

Performance Studies

Aulas práticas: parte da grade curricular

Segundo Klein, idealizadora do Performance Studies, a palavra "performance" assumiu uma relevância tão grande nos dias atuais, que estudar o conceito passou a ser, acima de tudo, "um ato de consciência política". Segundo ela, o aspecto da crítica dentro da criação artística deve ser sublinhado, principalmente em relação à relevância e à influência da arte no mundo contemporâneo.

Klein salienta ainda que "uma consciência apurada em relação ao próprio trabalho só pode acontecer na relação com o outro, com outras culturas e formas de pensar e criar". Por isso o curso está aberto "à internacionalização", priorizando a presença de estudantes e professores de diversos países.

Em 2009 o m aster fechou sua primeira cooperação com o DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico), através da chegada da professora convidada, filósofa e dramaturga eslovena Bojana Kunst, que passa um ano em Hamburgo, lecionando e orientando mestrandos.

Experiência teórica, prática e interdisciplinaridade

"Os masters possibilitam uma flexibilidade maior às artes dentro da universidade“, sugere Kunst, cuja formação é tanto acadêmica quanto prática. Tendo em vista que, normalmente, a burocracia acadêmica reduz a flexibilidade necessária à criação artística, estudos como este tentam possibilitar projetos especiais, a fim de preparar os jovens artistas e estudantes para o mercado de trabalho.

Bühne der Performance Studies

Aprender com outras culturas: aspecto relevante

A estrutura do Performance Studies é composta de dois anos de pesquisa prático-teórica, que culminam na tese final e em uma performance de final de curso. Muitos trabalhos de conclusão das diversas discilpinas são feitos através de performances teatrais ou de dança, e não das conhecidas e usuais provas do meio acadêmico. Além disso, o mestrando precisa fazer dois estágios.

"Minha carreira não se resume ao meio acadêmico, também trabalho como dramaturga e como colaboradora da revista de arte Maska, de Liubliana. Assim também deve ser a formação e o desenvolvimento do artista, uma prática que gera a reflexão teórica e também a interdisciplinaridade“, diz a professora.

Aprendizado através da diferença

Este espaço para a reflexão é o que mais encanta a estudante Pi Chang, que vem de Taiwan e vive há cinco anos na Alemanha. Depois de sua primeira formação como cantora lírica em sua terra natal, ela se mudou para a Alemanha, onde fez uma segunda formação como performer de musicais e agora está finalizando seu master em Performance Studies.

"Os alemães estão sempre refletindo, seja no sentido político ou filosófico do termo. De certa forma, há sempre um pensar sobre as coisas. No meu país é um pouco diferente, eu estava mais ocupada com o fazer do que com o pensar sobre este fazer. Através destas diferenças culturais se aprende muito", elogia a estudante.

Autora: Regina Rossi

Revisão: Soraia Vilela

Leia mais