1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Pequenos buscam brilho na final da Copa da Uefa

Inglês Middlesbrough faz a maior partida de sua história nesta quarta-feira contra o espanhol Sevilla, que comemora o seu centenário, em decisão do futebol europeu na Holanda.

default

Coadjuvantes, clubes projetam sucesso com vitrine

Às vésperas da Copa do Mundo, os holofotes da elite do futebol europeu estão direcionados para Barcelona e Arsenal, que no dia 17 se enfrentam na decisão da Liga dos Campeões. Mas na noite desta quarta-feira (10/5), em Eindhoven (Holanda), o Middlesbrough e o Sevilla fazem prévia do desafio Inglaterra x Espanha na final da Copa da Uefa.

O provinciano time inglês aposta na motivação de seus jogadores, que chegaram ao jogo derradeiro depois de uma semifinal milagrosa contra o Steua Bucarest, da Romênia, e ainda na capacidade de seu treinador Seteve McClaren, contratado para assumir a seleção nacional após a Copa do Mundo.

Este é encarado como o duelo mais importante dos 130 anos de história da equipe, que conta como maior conquista de sua existência o troféu da Copa da Liga Inglesa, em 2004. Dezoito anos antes, o clube quase decretou falência, mas conseguiu sobreviver financeiramente dentro do exigente sistema financeiro da Premier League, a primeira divisão do futebol inglês.

Steve McClaren

Treinador inglês quer mais um milagre

"Nós temos um time bastante experiente", disse McClaren, esperançoso ainda com alguns de seus jovens. "Contratamos cinco ou seis atletas bem experientes quando demos início a este torneio europeu, e este é o motivo do nosso sucesso. São atletas de grandes jogos, e eles gostam disso", explicou.

Dois deles, Mark Viduka e Jimmy Floyd Hasselbaink, tiveram participação importante na campanha da equipe, mas não foram vitais como o centroavante Massimo Maccarone.

Foi o italiano quem levou o Boro, como o time é carinhosamente chamado por seus torcedores, à decisão. Marcou o gol decisivo na semifinal contra o Steua, em Riverside, na vitória por 4 a 2, e fez também o tento da classificação nas quartas-de-final, no 3 a 1 aplicados sobre o suíço Basel.

Apesar do otimismo inglês, McClaren preferiu jogar o favoritismo para o lado espanhol. "Uma vitória nossa seria a cereja do bolo, mas o Sevilla é o grande favorito. Eles têm um bom histórico em competições como esta e estão bem no Campeonato Espanhol", argumentou.

Favorito?

Não é assim que os espanhóis encaram o duelo na Holanda. O desafio é preocupante para o Sevilla, que busca brilho no ano de seu centenário. O time não ergue um troféu desde 1948.

Por isso, a cautela foi imposta pelo treinador Juande Ramos como meta para os atletas. Ele acredita que o Boro é um grande rival, que, por sua força ofensiva, é capaz de operar um novo "milagre" na Copa da Uefa.

Pressekonferenz vor UEFA-Cup-Finale in Eindhoven

Jose Maria Cruz (e), gerente do Sevilla, em coletiva

"Nós estamos cientes em relação ao que eles podem produzir. Se um time consegue marcar gols como eles marcam, é porque são grandes adversários", afirmou Ramos. "Até mesmo quando começam perdendo, eles conseguem acreditar em seu potencial e reverter o placar, fazendo milagres", emendou.

Para o time espanhol, milagre na verdade seria conqusitar o título europeu. "É um sonho estar nesta final. Pelo time, pelo Sevilla e pela Andaluzia. Faremos muitas pessoas felizes se vencermos", projetou o treinador.

O time espanhol, a exemplo do inglês, conta com sua força máxima nesta noite. O brasileiro Luís Fabiano deve ser o titular no ataque ao lado do argentino Javier Saviola, já que o artilheiro Frederic Kanoute ainda está se recuperando de uma lesão.

MIDDLESBROUGH (ING) x SEVILLA (ESP)

Data: 10/5/2006 (Quarta-feira)

Local: Philips Stadium, em Eindhoven (Holanda)

Horário: 20h45

Árbitro: Herbert Fandel (Alemanha)

Middlesbrough

Schwarzer; Parnaby, Riggott, Southgate e Queudrue; Parlour, Cattermole, Boateng e Rochemback; Downing e Viduka

Técnico: Steven McClaren

Sevilla

Palop; Alves, Navarro, Escude e David; Marti, Navas, Maresca e Adriano; Kanoute (Luís Fabiano) e Saviola Técnico: Juande Ramos